Follow by Email

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Soldado americano e a guerra sem fim









  Na Guerra do Iraque, originada na administração Bush, e continuada com orgulho pelo 'mais do mesmo' Barack Obama, as vítimas não sabiam porque morriam e os soldados americanos ainda não descobriram porque( ou por quem) matavam.

  Um conflito imoral (como todos os conflitos bélicos),cujo comportamento do governo americano foi o de provar que 2+2 são 5; ou seja,que havia armas de destruição em massa. 








   (Na foto um soldado norte-americano aponta a arma a uma criança ferida pelo próprio)  


O pior não foi a mentira deslavada ter sido contada, mas porque houve eco na "imprensa" americana. Jornalistas fizeram das teses surreais de Bush e cia, a verdade mais que absoluta. Sem contestações. Exatamente o oposto do que deve fazer um jornalista sério. E não foi só o malfadado canal de Rupert Murdoch,a Fox News (a Globo dos EUA); CNN, ABC, NBC, CBS e outros, se venderam mais fácil do que o governo imaginava.

  Aos soldados americanos foi vendido uma ideia de que deveriam deter o Tio Sadam de seus projetos de vilania. quando na verdade estavam fazendo o serviço sujo de um dos maiores genocidas da história, George W. Bush. Ele e seu politburo particular planejavam saquear as reservas de petróleo do Iraque e saciar a ganância de seus colaboradores de campanha e o Establishment que o levou à Casa Branca.

  Bastou que os caixões com soldados americanos mortos, cobertos com a bandeira voltassem para casa, para que a opinião pública se desse conta de que as coisas não eram tão coloridas quanto lhes fora contado.






Leia também :


Terra da Liberdade; Lar dos Corajosos...Sério? 



  Com integrantes das forças armadas mortos, ou mutilados, ou traumatizados (a famosa "Neurose de Guerra") surgiram movimentos pelo país inteiro, protestando contra mais uma guerra insana ( mais uma com envolvimento dos EUA,  e mais uma financiada pelo contribuinte americano). 

  No vídeo acima , o corajoso soldado Jon Michael Turner faz um mea culpa público,mostrando com detalhes ( e fotos) os crimes bárbaros  cometidos por ele e por seus colegas marines. Ele denuncia o que o Alto Comando os mandava fazer e a repugnância que o acometia, após atos tão monstruosos. 

  Seu gesto, no início do vídeo, de atirar suas medalhas e todas as suas condecorações  ao chão é um simbolismo de quanto uma guerra é inútil e imoral. E que ganhar premiações por tirar vidas de civis que defendiam seu país lhe pareceu absurdo. Por isso o ato extremo de jogá-las com raiva. 

  É incontestável que guerras produzem apenas quatro coisas :

* órfãos
* viúvas
* aleijados
* miséria

 E os que as criam, os Senhores da Guerra, sempre saem vitoriosos.





Nenhum comentário:

Postar um comentário