Follow by Email

quarta-feira, 8 de junho de 2016

Conselho Pra Quem Quer Ser Voluntário nas próximas Olimpíadas: NÃO!







Um evento que gira bilhões de dólares, onde cartolas do Comitê Olímpico Internacional (e o brasileiro) lucrarão como nunca, os veículos de imprensa também, ao colocar no mercado publicitário as cotas de patrocínio. As empresas anunciantes idem, já que contam com a mesma anistia que os patrocinadores da Fifa tiveram, durante a Copa de 2014, e a exposição de suas respectivas marcas lhes darão um retorno imenso.



E os atletas? Bom, as estrelas sim, mas não só com o prêmio de participação (que alguns países desenvolvidos pagam para ter os principais atletas no evento), mas através das companhias (em especial, as de material esportivo) que os apoiam durante o ano inteiro. Isso para alguns de renome, é claro. Outros (e o Brasil é pródigo em negligenciar seus atletas) estarão à deriva, como sempre, sobrevivendo com o dinheiro que o Estado destina ao COB. Que até é uma quantia razoável para um país igual ao Brasil, mas cujo montante chega BEEEEM diluído para os profissionais. Mas Carlos Arthur Nuzman está sempre com seus ternos caríssimos, mesmo não fazendo absolutamente nada pelo esporte nacional. Deve ser apenas coincidência, é claro...


E os voluntários? Estes estão em situação pior ainda. Dos 300 mil inscritos (causa espanto tantas pessoas caírem no truque, mas enfim...), foram selecionados 80 mil. Com 50 mil aprovados para trabalhar na faixa, as dificuldades parecem aumentar dia a dia, às vésperas de começar o evento.
Muitos são de fora do Rio de Janeiro, o que já é complicado. Hospedagem, alimentação, viagens...Nada parece ajudar aqueles que se propõem colaborar de graça para os Jogos.
Até albergues estão reajustando seus valores.
Os preços estão superfaturados, com aumento de 50 para 200 reais/dia. Em um mês de Olimpíada, imagina só a despesa da pessoa?



A brilhante ideia do Comitê foi lançar o aplicativo “Meu lugar no Rio”, onde um morador do Rio possa se inscrever e disponibilizar local de hospedagem.


Com essas “providências” por parte do Comitê Olímpico não é de se estranhar que milhares dos inscritos e aprovados estejam desistindo da empreitada. Não é só o tempo que a pessoa irá dispensar para colaborar com os Jogos Olímpicos. Seria uma quantia de dinheiro considerável. Tal situação torna tudo inviável para quem se interessou em ajudar.
Pra sorte do COB, há no mínimo 30 mil aprovados que não foram aproveitados, ainda. Isso é uma “gordura” considerável. Mas será que todos eles ainda estão disponíveis ou, sobretudo, interessados?
MAS TUDO ISSO PRA QUÊ, EXATAMENTE?


As “vantagens” em ser um voluntário (que tem uma jornada de 9 horas diárias) são: alimentação durante o horário de trabalho, transporte até as arenas e desconto de 15% nas passagens da empresa Latam. Viu como é estimulante e recompensador, saber que você doará quase um mês de sua vida, sem ganhar absolutamente nada (além de ter um enorme prejuízo), a um evento onde corre muita grana, onde o COB e o COI ganharão milhões e bilhões, respectivamente,  órgãos que mais faturam dinheiro no mundo --com seríssimos escândalos pairando sobre ambas as instituições--  enquanto TVs, empresas multinacionais, atletas renomados terão sua parte do bolo; além de vários aspones que serão presença constante em momentos como esse.

Uma oportunidade como essa é imperdível, gente.