Follow by Email

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

ENQUANTO ISSO, NA PALESTINA...



























  Na Palestina, a queima de fogos é bem diferente, infelizmente...

  Triste retrato de um mundo desigual e injusto, onde a vida de alguns parece não ter valor nenhum pra ONU,pra grande mídia ( que não tem grandeza alguma)e pro fascista governo dos EUA. 

  Se o ser humano foi criado para ser igual aos demais, parece que alguns "são mais iguais do que outros".



  Leia também :







Ano Novo, Velhos Vícios...








  Parece uma novela cujo final sabemos de cor : filas imensas nos mercados e lojas Brasil afora para poder ter  os apetrechos ideais para celebrar a chegada do ano vindouro. A combinação de etanol, bicho morto, pólvora e sons estridentes parece saída de um manual pouco inspirado para celebrar algo que, supostamente , seria um renovação. Mas o brasileiro não muda e sempre "comemora" com álcool em excesso, churrasco, fogos de artificio e música alta e de mal gosto, como sempre.

  Tal qual o Natal, o Reveillon é visto quase como um advento do fim do mundo. Parece não haver amanhã. Estradas apinhadas de seres humanos desesperados para fugir da realidade urbana, bebedeira que, via de regra leva a óbito vítimas inocentes e os decibéis muito acima da média, como se não houvesse vizinhos ao redor, como se todos gostassem ou pudessem comemorar. Muitos trabalham,outros tantos se recolhem no aconchego do lar, mas parece isso parece pouco importar para os " celebradores e festeiros" de plantão. Os excessos são de praxe e pouco variam. Como se o amanhã não existisse. O mais irônico é que as pessoas estão comemorando, justamente, a chegada de um novo dia,um novo ano.

  A falsidade também parece não dar tréguas, já que é comum que pessoas cumprimentem seus desafetos, não como uma forma de aparar as arestas, mas sim como desencargo de consciência, como um ritual quase que obrigatório. Pessoas que estão mais preocupadas com o convencionalismo da sociedade, do que se confraternizar com seu próximo. Até porque, com a chegada do novo ano, as rusgas mal resolvidas e as contendas continuam as mesmas, se não houver sincera vontade de suplantá-las.

  Esse é o ser humano. Um animal de hábitos, em sua maioria desagradáveis, e que busca incessantemente o que convém a ele próprio. E ninguém mais. E eu que pensava que o coletivo fosse mais relevante...


Leia também :

Boas festas, o cacête!



domingo, 30 de dezembro de 2012

OS MISTÉRIOS DA ESTRADA DE HAMILTON





































 A estrada de Hamilton é uma das estradas mais mal-assombrada em Indiana (EUA).

Existem muitas histórias sobrenaturais nesse local, as quais podem ser comprovadas pelos visitantes mais corajosos através de algumas experiências sobrenaturais. Claro que isso não é para qualquer indivíduo. Exite nervos de aço.
Entrando na estrada Hamilton, quando chegar na terceira ponte, para seu carro e em seguida chaveie (pisque) o farol do seu carro quatro vezes seguidas. Quando você terminar de piscas as luzes, avance lentamente. Em seguida dê uma olhada em seu espelho retrovisor, e você verá um homem de baixa estatura perseguindo você, correndo atrás do carro mesmo.

Adiante aproximadamente uns 200 metros a frente, você vai ver um antigo cemitério. Se dirija ao cemitério e estacionae o seu carro um tanto na parte de trás do cemitério. Lentamente saia do seu carro e caminhe ao longo da cerca.
Em breve você será capaz de ver uma aparição que parece jogar chamas para fora da floresta.

Segundo historiadores, por volta do ano de 1800 havia uma antiga igreja construída sobre esse ponto. A igreja pegou fogo e, infelizmente, aqueles que estavam no prédio morreram queimados brasas.


Leia também :






Quem for corajoso, por volta da Meia-Noite, dirija até os trilhos da antiga ferrovia que existia no local.
Pare o carro no meio dos trilhos abandonados. Silenciosamente saia de seu carro e polvilhe o pára-choque traseiro do seu veículo com uma substância em pó, como talco. Apresse-se a voltar para seu carro. Entre e tranque as portas, ficando quieto.
Depois de algum tempo você poderá ouvir o apito do trem e uma luz brilhante brilhará cegando-o por uma fração de segundos. De repente o trem desaparece.
Se você não estiver muito assustado ainda, depois de tudo isso, lentamente saia do seu carro e vá olhar para o pára-choque traseiro. Você vai ver as impressões digitais de uma criança. Segundo pesquisadores, são as marcas de "Danny", o qual era um jovem garoto que perdeu a sua vida nos trilhos do trem no início dos anos de 1900.

Nem todo mundo sabe dessa estrada. Para chegar até ela, basta pegar a estrada 38 em linha reta através Mulberry e olhar para uma velha estrada isolada nomeada "900 oeste". Quando se chega à um sinal de parada, é justamente ali que estrada Hamilton está situada.




sábado, 29 de dezembro de 2012

Free Gaza! Save our Brothers in Palestine!


































      Stop the holocaust against palestines. Enough of barbarian methods to treat another human beings.

   By the way, where's United Nations?


   Leia também :

 *  Hey, U.N., Save Palestine!!!!!





sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

A Fábula da Corrupção







   Ainda que por metáfora, fica fácil reconhecer a triste rotina do Brasil. O que não é fácil , é entender como o brasileiro é conivente ou indiferente a esse tipo de crime lesa- pátria. E constatar que, se a mesma dedicação que a nação tem com futebol ou novela fosse revertida a política, teríamos menos chances de ter corrupção nos três poderes. Acorda Brasil!!

Leia também :

ENQUANTO ISSO,NO PAÍS DA COPA E DAS OLIMPÍADAS...




Nomes de artistas que colaboraram com a ditadura são revelados em documento




Do site Pragmatismo Político



MINISTÉRIO DO EXÉRCITO
GABINETE DO MINISTRO
CIE/GB
ENCAMINHAMENTO 71/s-103.2.cie
FUNDO “DIVISÃO DE CENSURA DE DIVERSÕES PÚBLICAS”, ARQUIVO NACIONAL,
COORDENAÇÃO REGIONAL DO ARQUIVO NACIONAL NO DISTRITO FEDERAL, SÉRIE
“CORRESPONDÊNCIA OFICIAL”, SUBSÉRIE “INFORMAÇÕES SIGILOSAS”, CAIXA ÚNICA
Acervo Arquivo Nacional – COREG
Durante a ditadura militar no Brasil, alguns artistas viraram colaboradores do regime – seja por simpatizarem com os governos militares ou por pura covardia – passando informações sobre o que acontecia no meio artístico e participando de atos realizados nos quarteis.













No documento em anexo produzido pelo Centro de Informações do Exército (CIE), classificado como informe interno e confidencial, o CIE reclama que alguns veículos intitulados pelos militares de “imprensa marrom” (tal qual O Pasquim) estariam fazendo campanhas contra alguns artistas amigos e colaboradores da ditadura.
O informe difundido para outros órgãos da repressão política sugere que esses artistas “amigos da ditadura” sejam blindados, protegidos.
(Vídeo) Roberto Carlos mostra sua consideração ao ditador chileno Augusto Pinochet


No documento emitido pelo Centro de Informações do Exército são revelados alguns desses “colaboradores”,considerados pelos militares como amigos, aliados do regime. Segundo o documento, certos órgãos de imprensa estariam publicando matérias denegrindo a imagem de determinados artistas que se “uniram à revolução (sic) de 1964 no combate à subversão e outros que estiveram sempre dispostos a uma efetiva colaboração com o governo”.
São citados Wilson Simonal, Roberto Carlos, Agnaldo Timóteo, Clara Nunes, Wanderley Cardoso e Rosemary.
Clique nos links ao lado para ler os documentos. (Link 1 / Link 2)




quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

A Aurora Dourada






Aurora Dourada (em grego Χρυσή Αυγή, transl. Chryssí Avguí) é uma organização política grega de extrema-direita liderada por Nikoláos Michaloliákos.


Em 2005 o partido encerrou suas operações políticas e foi absorvido por uma entidade política chamada Aliança Patriótica, que deixou de existir após Michaloliakos retirar seu apoio à organização. Em março de 2007, a Aurora Dourada realizou seu sexto congresso, onde os oficiais do partido anunciaram que voltariam a militar politicamente. Nas eleições municipais de novembro de 2010, a Aurora Dourada obteve 5,3% dos votos em Atenas, adquirindo uma cadeira no Conselho da Cidade (legislativo municipal). Em alguns bairros com grande presença de imigrantes o partido chegou a obter 20% dos votos. Ao entrar na câmara municipal após ser eleito em Atenas, Nikolaos Michaloliakos fez a chamada saudação romana (uma saudação que já existia na Roma Antiga).

A Aurora Dourada descreve-se como um "movimento popular nacionalista" ou como "nacionalistas descomprometidos". Michaloliakos descreveu a Aurora Dourada como um movimento oposto ao "assim chamado Iluminismo" e à Revolução Industrial. O partido também se diz opositor do marxismo e doliberalismo. O grupo, que emprega símbolos e gestos similares aos do Nacional-Socialismo (incluindo a referida saudação romana), declara-se oficialmente cristão ortodoxo

Imigração
A Aurora Dourada opõe-se à presença de imigrantes na Grécia. O partido defende a deportação de todos os imigrantes e o fechamento das fronteiras com o uso de minas terrestres Em 2012, o ideólogo e candidato da "Aurora Dourada" Giorgios Germenis disse que "obviamente, todos os imigrantes ilegais devem partir. Se todos os imigrantes ilegais – que são mais de três milhões – se fossem embora, libertariam três milhões de postos de trabalho para os gregos.


                (Até o símbolo do partido, lembra muito a suástica nazista)


Fonte - WIKIPEDIA



quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

FIGHTING FOR A GOOD CAUSE









I heard about Sara in a community about human rights for Palestine.  I decided to add her on Facebook.  Started to chat, knowing her better, and I notice that we have lot in common.  

She started a ‘hunger strike’, supporting the palestines arrested by Israel government. So many things wrong back there in the Middle East, that she thought “hey, it’s time to protest”. She’s not the only one. The entire world thinks the same. The good part, anyway.

Then I wanna know her better and ask about the Gaza’s blockade and all issues about Palestine. I coulnd’t help myself and made 10 questions and, for my surprise, she answered all. And with her permission, I published on my Blog, the same Blog that I used lots of times to defend Gaza, despite some people criticize-me. I don’t mind. And Sara neither. 

Here’s what she has to say about the Palestine situation :


1 –BLOGGER :Why you decided to do a hunger strike?

  Sara McGlock - I was inspired to do a hunger strike by Sharawna’s and Issawi’s commitment to the Hungry Stomachs movement. Using non-violence is vital, so I chose to hunger-strike to raise awareness for the inhumanities that are occurring in Israeli prisons and to raise awareness for this violation of human rights.

2 – BLOGGER : How long have you support the Palestine cause?

Sara McGlock -I have been in support of Palestine’s cause since I first heard of the Israeli occupation, though I only support Palestine’s non-violent actions. I have been interested in Palestine for about 2 years.

3 – BLOGGER :The blockade in Gaza by Israel is the most terrible humanitarian disaster. Do you agree?

 Sara McGlock- The blockade in Gaza is completely unethical. Blocking people in a designated area, claiming that it is self-defense, is a ridiculous tactic. Is there a single instance in history where a country that is concerned of their own safety blocks in their own enemy? If this was self-defense, Israel would be more inclined to blockade their own people, and this is not the case, which indicates that this is probably not a self-defense tactic.

4 – BLOGGER :The USA and Canada support Israel and his tactics. How you feel about that?

 Sara McGlock -I do not agree on any level with North America’s alliance with Israel.

5 – BLOGGER : How a hunger strike can help in a very complicated situation like Middle East?

 Sara McGlock -Through my hunger strike, I wasn’t intending to solve the Middle East’s conflicts. My intention was simply to raise awareness on the reality of the situation, highlighting the violation of human rights that occur in Israeli prisons, broadcasting the non-violent Hungry Stomachs movement to North America, and hopefully to provoke thought in our communities.

6 – BLOGGER :  In many different cases, the U.N. always reprimand the country that attacks other.
But there’s an awkward silence about Israel’s actions against Palestine. What you think about it?

 Sara McGlock -Israel continues to provoke Palestine, using violence, threats, and fear. It is not just that these actions go unpunished, when there is solid evidence that these actions do take place daily (even after the ceasefire).

7 – BLOGGER :   Would sound right if we say that Palestine has been suffering a new version of holocaust?

Sara McGlock - I do see this as racial hatred. It certainly isn’t on the same scale as the holocaust so we should avoid using the analogy, to avoid offending anyone. But the prejudice, displacement, and random acts of disrespect for Palestinian property and symbols (for instance, mosques and olive trees) are all signs of ethnic cleansing.

8 – BLOGGER :   Do you trust in politicians?

Sara McGlock- I have known very few politicians to be trustworthy.

9 – BLOGGER :   What about your family, they encourage you to go on and protest this way?

 Sara McGlock- No, my family was not happy about my fast, and they don’t have a personal stance on the Hungry Stomachs movement. They are happy that I am happy, but they aren’t particularly happy that I am disagreeing with my government.

10 – BLOGGER :   If you could send a message to the palestine people, what would it be?

 Sara McGlock- In whatever you do, keep the peace. Keeping peace is vital to the progression of Palestinian independence. It is very difficult to practice non-violence when provoked, but retaliating in violence will only continue to set us back, as it has in the past.

I couldn’t agree more. Fortunately, there’re millions of people out there, who support Sara’s ideas. I’m one of them.
Thanks,Sara. It’s good to see someone fight for a better days, using non-violent ways to show that the world is a good place; and worths fight for it. Hemingway was right.

You can also read :

* Hey, U.N., Save Palestine!!!!!




Confissões de um Policial Brasileiro









Eu sou um policial; trabalho em um dos países mais desiguais e injustos do continente. Procuro fazer meu trabalho da melhor forma possível, mas o sistema não permite. Talvez seja por isso que eu tento subverter o mesmo, fazer minhas próprias regras e segui-las até o fim.

 Não se iluda; esse cinismo não nasceu comigo. Acreditava que trabalhar na força policial seria o melhor jeito de consertar as coisas. Sei que parece idealismo demais, ingenuidade, até. Mas eu realmente acreditava...

  Mas aí você é apresentado à dura e feia realidade das ruas, do submundo... Então tu muda radicalmente.De alguém que ,no início, queria mudar o mundo foi mudado por ele. Na academia não  ensinam nada dessa merda pra gente.

  Sair de casa e não ter certeza que vai voltar faz parte do jogo, infelizmente. Que o soldo é baixo, sabemos também, desde o edital do concurso público. Mas perceber que não há valorização, aumento e salário condizente, estrutura digna para trabalhar, apoio dos teus chefes (no nosso caso, o comandante da corporação, o secretário de segurança e o traste do governador), isso tudo não foi combinado com a gente.

  Aí tua família percebe a mudança e você já não é mais o mesmo cara agradável de antes. Traz desânimo, irritação e tensão das ruas para o seu próprio lar. Com o tempo, descarrega o nervosismo naqueles  que estão perto, apenas tentando te apoiar, mas você nem percebe, de tão anestesiado pelo sistema que já está.

 A verdade é que não te contam nada nos cursos preparatórios, nas conversas com psicólogos, nem quando o comandante passa para ver se você está fazendo continência do jeito certo.

  Além de levar problema para casa, ele passa a ser seu parceiro em tempo integral.

Tenho que sair de casa, à paisana, com o uniforme dentro da mochila e pedir pra minha mulher falar que trabalho numa fábrica qualquer.

Já perdi uma porção de amigos, só porque estavam usando farda ou porque descobriram que eram da corporação.

Tenho que confessar uma coisa. Acertar bandido começou a me dar certa satisfação, uma certa alegria. Mais até do que eu poderia ter ao ver justiça sendo feita. Justiça sendo feita... Tá bom. Isso é conto de fadas.

Você prende e o juiz logo solta? Que se dane,quando eu pegar o mesmo cara nas ruas,quebro o joelho dele.
  Nem terminei de fazer o B.O. e o cara fez coisa errada, de novo? Deixa pra mim...

 
Leia também :




  Aí tu começa a ser mal visto nas periferias da vida, pois acham que policial só prende e mata pobre. Será que essas pessoas são cegas e burras? To me lixando pro que o cara tem na carteira. Pra mim, bandido é bandido, independente da renda mensal. E tenho que admitir que bandido morto se torna um peso a menos pra gente nas ruas.

  Aí, depois de cada presunto que aparece , a imprensa procura o governador pra ter explicações. Desde quando ele manda alguma coisa? A gente mal respeita a hierarquia (o comando), o que dirá um engravatado que nunca vai às ruas, que se esconde em seu “palácio” e não sai, a não  ser em época de eleição, e mesmo assim com um monte de brutamonte como segurança.

Choquei você? Fala sério, com esse sistema viciado acha mesmo possível ’ordens de governador’ ou 'seguir o manual passo a passo'? Acorda, cidadão! Não é assim que a banda toca. O bandido opera livremente. A gente também. Eles matam um dos nossos? A gente apaga vários deles. Eles armam assaltos e sequestros cinematográficos? Fazemos emboscadas pra pegar vários.

Sou humano, sangro como qualquer um, e minha mulher e filhos não pediram pra viver nesse permanente  fogo cruzado. Nem pra viver nesse clima de incerteza, sem saber se volto vivo pra casa ou não.

Sei que há mal elemento na corporação,mas não significa que eu seja igual ou que apoie os erros do infeliz. Só não acho justo nivelar todo mundo por baixo.

Apesar de tudo, ainda acho que é possível mudar as coisas, voltar a ter importância pra sociedade e fazer valer a autoridade, tão desgastada nos últimos anos. Enfim, levar a sério (e ser levado a sério, também) a frase : para servir e proteger. Sempre achei a mais pura verdade. Desde que as regras do jogo não sejam alteradas ou pervertidas.”



domingo, 23 de dezembro de 2012

A Falácia das Cotas nas Universidades





AS COTAS – A princípio idealizadas para corrigir distorções do passado, elas foram legitimadas pelo STF, num claro erro jurídico. Atropelando o artigo 5º da Constituição Federal (todos são iguais perante a lei), os ‘nobres’ integrantes do Supremo preferiram seguir o politicamente correto, ao invés de seguirem com propriedade as normas jurídicas.


O caso ganhou mais notoriedade quando um vídeo  polêmico, com teor hostil, foi veiculado no Youtube. Criado por integrantes da Rede Nacional de Juventude Negra fez mais estragos do que se podia imaginar. Assista AQUI

No mesmo vídeo,dentre os comentários,a maioria lúcidos (outros , de baixo calão), um que chamou a atenção foi : “Em 2000 anos de história, os europeus desbravavam o mar aberto e os continentes. Descobriam e estudavam fenômenos. Inventavam as ciências, a matemática, a filosofia. E o negro africano? Ficou lá na África, com sua “cultura” tribal e questionável. Não avançando em nada. No máximo em algum estilo musical ou outra coisa relacionada. Nada relevante, no entanto”. Tem lógica.  

Matéria da Veja LEIA AQUI

Em outros vídeos, no mesmo Youtube, vemos as argumentações racionais, sem se deixar levar por populismos. Confira  AQUI   E AQUI.


As “ações afirmativas” desse porte dividem o país em facções, ao invés de unir. Talvez se houvesse APENAS cotas sociais, independente de cor, as coisas poderiam ter uma maior aceitação. Não é esse tipo de pragmatismo que irá reparar o holocausto sofrido pelos escravos, no Brasil. Até porque, tráfico de escravos era feito, inclusive, por africanos (negros) que faziam disso um meio de vida.


Lembrando que o ícone da luta contra a escravidão, Zumbi dos Palmares, também tinha escravos particulares. LINK AQUI

Leia também :

FATOS E FACTÓIDES

MEMENTO MORI





sábado, 22 de dezembro de 2012

A FARSA DE UM PSEUDO ARTISTA



do YAHOO!
Por Dafne Sampaio


Tenho uma dívida eterna com Timpin Pinto, afinal ele é (com certeza é) o cara que mais conhece a verdadeira música popular brasileira do século 21. E não é a tal "curiosidade antropológica", pois o cara gosta profundamente de tudo que ouve (e isso vale também pro que não gosta). Foi através dele e de seu Cabaré que conheci os eletromelodys paraenses, as swingueiras baianas, os bregas-funks pernambucanos e por aí vai. Mas tem outra: Timpin gosta e não foge de briga. O sujeito que já foi ameaçado de morte por gente ligada ao submundo do forró agora está numa missão de desconstruir a fama de bonzinho de Michel Teló, o multimilionário homem de um sucesso só. Pedi permissão ao Cabaré para reproduzir aqui no Ultrapop uma versão ligeiramente editada de "A verdadeira (e sórdida) história de Michel Teló". Vai que é sua, Timpin!
Recentemente Michel Teló foi pra mídia reclamar que o Ministério da Cultura se recusou a ajudá-lo em um documentário através da Lei Rouanet. O cantor queria um milhão e trezentos do governo (entenda-se, do povo que paga os impostos que sustentam o governo) para documentar seus passeios pela Europa, na esteira do sucesso de "Ai se eu te pego" que, diga-se de passagem, tem sua autoria até hoje contestada na justiça. Na entrevista ao site Universo Sertanejo ele não consegue deixar de transparecer sua arrogância. Declarou que com seu hit levou "...o nome do país pra fora, o país voltou a ser notícia por algo de cultura"
A questão é que Michel Teló posa de mocinho e de mocinho ele não tem nada. Quer desmascará-lo? Pergunte qual foi a verdadeira história da saída de sua antiga banda, o grupo Tradição, do Mato Grosso do Sul. Peça para Michel Teló explicar porque a banda se dilacerou, com todos os membros, que tocavam juntos há anos, partindo cada um para lado. Essa história nunca foi bem contada. Aliás, essa história nunca foi contada, apesar de que todo mundo que trabalha nos bastidores do mercado sertanejo saiba. Mas o público e os fãs não sabem. Por isso este cabaret vai trazê-la à tona.
Tudo começou em 2008, quando o grupo Tradição estava finalizando seu DVD Micareta Sertaneja 2. O anterior tinha rendido um disco de ouro e uma apresentação no Domingão do Faustão. Tinha tudo para não só repetir a dose como ainda apresentá-los para o resto do Brasil, já que seu sucesso ainda era regional. Ocorre que quando tudo já estava pronto, inclusive a arte final do DVD, Michel e seu irmão Teófilo Teló, disseram que as oito músicas que estavam registradas na editora Panttanal, que era deles, só seriam liberadas mediante ao pagamento de uma pequena fortuna por cada uma. Valores absurdos, completamente acima do valor do mercado.
Naturalmente a banda declinou da proposta, alegando que se fosse o caso, excluiriam as tais oito músicas e seguiriam em frente. Então os dois rebateram: se fosse feito assim, os direitos de uso das imagens do cantor não seriam liberados. O que se seguiu foi uma discussão que, segundo fontes seguras, chegou às vias de fato. Em seguida foi convocada uma entrevista coletiva na qual Michel Teló anunciou sua carreira solo, tranquilizando os fãs de que cumpriria a agenda de shows já vendidos, permanecendo na banda por seis meses. Isso depois de cantar na banda há mais de dez anos (ele foi descoberto pelos empresários do Tradição quando ainda era adolescente).



Durante meio ano a banda se apresentou por toda a região Sul e Centroeste disfarçando nos palcos o clima horrível que imperava nos bastidores. Chegou agosto de 2009, Michel desligou-se da banda, levou toda a estrutura de palco e ainda estreou solo usando nos cartazes de divulgação a expressão "Micareta Sertaneja". Deixou pra trás uma banda falida e despedaçada. Todos os outros membros saíram, com exceção do guitarrista Wagner Pekois que insistiu em tentar o que na época era considerado por todos uma louca utopia, recomeçar do zero.
E foi o que ele fez. Inicialmente viajou ao Rio Grande do Sul e em Ijuí recrutou os irmãos Guilherme e Leonardo Bertoldo, cantor e baterista do grupo Os 4 Gaudérios, respectivamente. Da banda sul matogrossense Zíngaro contratou o sanfoneiro Jefferson Villava, o baixista Leandro Azevedo e o percussionista Marcio Pereira. Com a formação nova gravaram o disco Caixinha de Surpresas e caíram na estrada por dois anos até adquirirem a sinergia e a verba necessária para a gravação de um novo DVD.
O DVD Tô de Férias acabou sendo um dos melhores lançamentos sertanejos de 2010, apesar da baixa repercussão que teve na mídia. E assim o Tradição continua na batalha até hoje. Recentemente lançaram um single de sucesso, chamado "Ui, adoro" que, apesar não tocar nas rádios, já teve mais de um milhão de downloads.
Só que a lei do karma ruim é implacável. A música "Ai se eu te pego" pode estar tocando no planeta inteiro, mas o sucesso de Michel Teló é uma bolha, uma mera ilusão porque ele não tem fãs. Ao contrário da maioria dos cantores que saem de suas bandas e se lançam em carreira solo, os fãs do Tradição não migraram para o lado do cantor, muito pelo contrário, permaneceram ainda mais fiéis à banda, sendo praticamente uma extensão do departamento de divulgação. Enquanto a preocupação de Michel é ganhar mais e mais dinheiro, o Tradição segue apostando na construção de uma carreira artística de qualidade.
O dia em que algum empresário visionário resolver investir no Tradição, o Brasil irá conhecer um dos melhores shows da atualidade. Se no momento Michel Teló é um dos artistas mais saturados do país, certamente o Tradição é o segredo mais bem guardado. Quem vai entrar na história como o mocinho e quem vai entrar como o bandido, só o futuro dirá. Mas não é muito difícil de adivinhar.




Boas festas, o cacête!






Se há uma época do ano em que as pessoas se transfiguram por completo, é no Natal.
Data festiva que há muito perdeu sua razão de ser (nem todos se deixaram levar pelo consumismo exacerbado), o dia 25 foi se descaracterizando gradativamente, devido à mente tacanha de algumas pessoas cujo propósito é a antítese do clima do feriado.


Nas estradas - aglomeração, trânsito monumental, engarrafamento tanto sentido interior, quanto sentido litoral, IMPACIÊNCIA, IRRITAÇÃO, DESRESPEITO, INTOLERÂNCIA E FALTA DE HARMONIA (o oposto do que simboliza a data).




 Nas lojas – aglomeração, ‘empurra-empurra’, desespero por adquirir presentes, a qualquer custo, IMPACIÊNCIA, IRRITAÇÃO, DESRESPEITO, INTOLERÂNCIA E FALTA DE HARMONIA (o oposto do que simboliza a data).




Vaidade - Pessoas lotando salões de beleza, numa histeria coletiva de querer aparentar estar (ou ser) diferente nessa época do ano.


Nos mercados da vida – filas, estacionamentos entupidos de carros, motoristas querendo uma vaga de qualquer jeito, IMPACIÊNCIA, IRRITAÇÃO, DESRESPEITO, INTOLERÂNCIA E FALTA DE HARMONIA (o oposto do que simboliza a data).





AS “celebrações" são regadas à música de gosto duvidoso, em um volume ensurdecedor, prejudicando os vizinhos (nem todos comemoram, muitos trabalham nesta época, portanto tem que descansar) o que acarreta IMPACIÊNCIA, IRRITAÇÃO, DESRESPEITO, INTOLERÂNCIA E FALTA DE HARMONIA (o oposto da data).


As mortes e as tragédias nas estradas causadas devido ao consumo de álcool excessivo por parte de motoristas irresponsáveis.





O comportamento errático , a ausência de bom senso e eterna mania que alguns ainda tem de se importar com seu mundinho particular, fazem com que o Natal seja uma data cujo propósito tenha se perdido  para muitos(felizmente há exceções).






Poucos enxergam o dia 25 como uma data de recolhimento, de harmonia, de reconciliação, de confraternização e de reaproximação.  De pensar no próximo mais do que a si mesmo. De lembrar que muitos podem comemorar e celebrar com amigos e família,mas muitos estão ao relento ou absolutamente sozinhos. Quiçá, um dia, as pessoas voltem a olhar o Natal como realmente é. E não como uma festa onde o consumismo impera, substituindo a caridade e a fraternidade.




quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Imagens que Abalaram os Últimos 100 Anos - Parte 2






                              (Suposta autópsia em alienígena,nos anos 90) 



                                    (Muammar al-Kadafi, morto por seus ex súditos)



              (Foto que mostra a miséria no continente africano; imagem dá um aperto na jugular...)



       (O Fueher, em momento constrangedor para sua imagem de "estadista" máximo do nazismo)



                                         (Avião quebra a barreira do som)



                 (1º de maio de 1994. Ayrton Senna e a curva fatal da Tamburello,na Itália)



          (os velocistas americanos Tommie Smith e John Carlos, ouro e bronze nos 200 metros, a dupla ergueu o punho na saudação típica dos Panteras Negras, nas Olimpíadas de Munique ,em 1972)



                                      (A construção da Torre Eiffel)



                                        (A morte de Ernesto "Che" Guevara)



                 (o beijo mais famoso da história,mostrava o retorno dos soldados americanos da Europa; acabou simbolizando o fim da segunda guerra)



               (foi o primeiro satélite artificial da Terra. Foi lançado pela União Soviética em 4 de outubro de 1957)




                      (imagem dos caixões trazendo os primeiros soldados americanos vitimados na guerra do Iraque,em 2003; acabou mostrando à população a real situação no país do Oriente Médio)



                                            (O julgamento de Nuremberg)



    (O cometa Halley fotografado no céu de Nova York em 1910.



Imagens Que Abalaram os Últimos 100 Anos