Follow by Email

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

ISRAEL, A RÉPLICA MODENA DO NAZISMO




O judaísmo é uma religião não uma raça. Hebreus e Árabes são semitas, mas a maioria dos judeus não é hebreia. Judaísmo também não tem nada a ver com sionismo, sionismo é a mesma coisa ou pior que nazismo!




O mundo foi enganado sobre a criação de Israel por pressão sionista nos anos 30-40. Agora, o tratamento sionista de Israel para os palestinos, que acolheram os refugiados judeus europeus e que viviam pacificamente com os da fé judaica antes da revolta sionista, não é diferente do tratamento dos nazistas aos judeus e outros europeus:
- Vários guetos judeus europeus vs Gaza e agora na Cisjordânia;

- A expulsão de judeus pelos nazistas na Europa vs expulsão sionista dos palestinos;

- Lebensraum nazistas vs Assentamentos israelenses;

- Ideologia das leis de pureza racial vs o racismo sionista israelense, e há demasiados exemplos para listar aqui;

- 'A Raça Superior' vs 'O Povo Escolhido '.

Netanyahu segue a cartilha “hitleriana” e espera ser aclamado como líder mundial. Adolf Hitler também o foi; e com o mesmo apoio incondicional dos EUA (imprensa e grandes empresários) durante a sua ascensão e boa parte de seu governo tresloucado.

E todos nós sabemos como essa história acabou...




domingo, 4 de outubro de 2015

LULA: "ESSE É O CARA" DE PAU!




fonte - JORNAL A NOVA DEMOCRACIA


"O mito é uma narrativa que, mesmo baseada em fatos reais, os distorce, transmutando-os ao surreal, mas, como principalmente ocorre, origina-se em fatos, situações e personagens fantasiosos. É fruto da ignorância e ingenuidade, sustentando-se na aparência das coisas e fenômenos. Neste aspecto a mentira, a farsa e a fraude têm a mesma base do mito. Fundado há trinta e cinco anos como um partido político, o PT, que nasceu sob signo da mentira sobre o qual erigiu uma torre mitológica a qual assistimos, hoje, após ter-se convertido em seu contrário, pelo menos do que aparentou ser, desmorona-se e deverá sobreviver como uma entidade qualquer.







Sua criação foi estimulada por Golbery do Couto e Silva, o bruxo do regime militar, e pelo monopólio da imprensa para impedir a influência de Leonel Brizola e dos comunistas entre as massas. Partiu de uma grande mentira na medida em que sua base inicial foi a pequena-burguesia por sua parcela de intelectuais (particularmente os do CEBRAP, instituição à época financiada pela Fundação Ford) e funcionários públicos, cujos quadros oriundos da igreja católica, do trotskismo, de ex-guerrilheiros arrependidos e sindicalistas treinados pelos institutos ianques para “desenvolvimento do sindicalismo livre” (IADESIL¹, ligado à central sindical ianque AFL-CIO² e vinculada à CIOLS³). Aglomerados sob o guarda-chuva denominado Partido dos Trabalhadores, esses setores tinham por seu porta estandarte um líder fabricado de encomenda: o ex-operário metalúrgico, preparado pela igreja e pelos já referidos cursos ianques ministrados por programas do Departamento de Estado do USA, ademais de ser da estrita confiança das montadoras, o senhor Luiz Inácio da Silva."




LULA: "ESSE É O CARA", DE PAU!