Follow by Email

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

ELEIÇÃO É COISA SÉRIA







Após as eleições,o balanço não foi dos melhores. Mas ainda sim vale ressaltar que cerca de 30% dos eleitores se abstiveram de votar no 1º turno e cerca de 20%, no segundo. Isso mostra desencanto com a classe que mais enoja e revolta a população : a dos políticos.
  Mas também não é votando nulo,em branco ou simplesmente NÃO votando, que se conserta as coisas. No Rio de Janeiro foi um exemplo disso. O sistema de saúde praticamente falido e ainda sim reelegeram um aventureiro (Eduardo Paes) apadrinhado por outro político que não se pode levar a sério em hipótese alguma (Sérgio Cabral).E todos amigos do Lula,"the mensalão boy". Votar é coisa séria. Quanto antes as pessoas entenderem isso melhor pra Nação.



A Triste Vida de uma Mulher num País Islâmico





Uma jovem foi apedrejado até a morte na Somália depois de ser condenado por ter relações sexuais fora do casamento, de acordo com relatórios.

Jamama moradores, uma cidade 425 km ao sul de Mogadíscio, na Baixa região Jubba, disse que Al-Shabaab partidários organizaram o apedrejamento na praça principal da cidade, no final da tarde. "Muitos moradores foram convidados a assistir à execu
ção de punição", disse um morador que pediu anonimato por sua Kulmiye segurança, emissora independente em Mogadíscio.










Ele acrescentou que a Al-Shabaab ,autoridades da cidade ,tinham testemunhado o apedrejamento. "A mulher admitiu ter relações sexuais fora do casamento", disse uma multidão sênior islâmico depois de apedrejamento. "Esses tipos de punição de acordo com a Sharia (lei islâmica) deve ser administrado", acrescentou.

Segundo os moradores, a jovem foi apreendido em um bairro da cidade, mas não há qualquer vestígio do homem envolvido no crime alegado.
O sistema judicial é frequentemente criticado por direitos de Al-Shabaab grupos humanos para a sua falta de advogado de defesa e provas adequadas a suas penalidades às pressas executados.


E, como disse na sexta-feira o Grande Mufti da Arábia Saudita para os peregrinos se reuniram 2,5 milhões em Meca Sharia se aplica a todos os aspectos da vida, em qualquer lugar e em qualquer momento, inclusive a pena de morte e outras penas no Islã, como amputação apedrejamento e flagelação, e aqueles que dizem o contrário são parte de campanhas pelos inimigos do Islã.


  Leia também :

Uma Mulher Chamada Zoya







da página Oliux Strakinacttux (Facebook)




HUMOR NEGRO 4







































HUMOR NEGRO 3







































HUMOR NEGRO 2
































terça-feira, 30 de outubro de 2012

HUMOR NEGRO...


























  humor negro...


(peço encarecidamente que a patrulha do politicamente correto mantenha suas mentes tacanhas afastadas do blog,por favor)



Fragmentos de um Sistema Eleitoral Ultrapassado






Apenas e tão somente um compacto dos melhores (e piores) momentos das eleições brasileiras


 1- URNAS ELETRÔNICAS – Sempre aclamadas pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) como um avanço, as polêmicas urnas sempre foram alvo de suspeitas. Para analisar melhor se são confiáveis ou não, é só levar em conta que o advento brasileiro nunca é levado para países de primeiro mundo. União Europeia e EUA sempre foram reticentes com o sistema. Acham que pode ser facilmente hackeado e burlado. Se eles não querem, é porque viram na máquina coisas que alguns eufóricos brasileiros nem conseguiram ver (ou não quiseram). A seguir algumas denúncias :



                       (Fraudes nas urnas eletrônicas - versão sem cortes)



 2 - DEBATES – Sempre no mesmo formato padronizado (o da MTV americana é melhor), impossibilitando o eleitor diferenciar propostas mais concretas. Na verdade não são debates políticos; apenas programas de auditório realizados pelas emissoras de TV. Um show que visa audiência, e não esclarecer o eleitor mais indeciso. Debater ideias e programa de governo já é algo démodé.



3 - PESQUISAS – Tendenciosas, como sempre, e quase sempre equivocadas, elas já vitimaram vários políticos ao longo da história. Com aferimento e metodologia errados, deveriam ser proibidas a uma semana do pleito, pois sempre há pessoas com preguiça mental que procuram votar em quem está na frente das pesquisas. É aquele tipo de gente que acha que deve votar em quem vai ganhar, e não em uma ideologia, uma proposta de governo.


 4-  COBERTURA DA IMPRENSA – Hoje jornalistas reclamam da chamada ‘lei da mordaça’, que limita os comentários, tanto no rádio quanto na televisão. Mas foi por negligência de boa parte dos veículos de comunicação (Veja, Estadão, Globo, Zero Hora,Isto é, etc.) que isso surgiu. É só recordar o que aconteceu em 1989 para entender o porquê a mídia de um modo geral, não ter maturidade para usufruir de liberdade total.




5 - REDES SOCIAIS – Usadas em sua plenitude com muita liberdade de expressão, mas com pouco conteúdo.  Ao invés de ser uma plataforma de denúncias dos escândalos e problemas envolvendo os candidatos e as cidades em questão, foi somente um meio para se xingar políticos, esbravejar sem nada de produtivo.  Mais parecendo adolescentes mimados. Péssimo jeito de se usar a liberdade de expressão...


6 - POLÍTICOS & PARTIDOS – Houve alguma renovação (para o bem ou mal), novas lideranças. Mas houve certo desconhecimento do escândalo do mensalão, que poderia ter resultado em outro caminho, em algumas cidades.  Em muitas delas trocou-se seis por meia dúzia (Bahia e Curitiba). PSDB e DEM foram os principais perdedores (encolheram muito, em comparação às últimas eleições). PT  mais perdeu do que ganhou. Foi rechaçado em várias cidades (entre elas algumas em que tinham chances ou eram estratégicas, como Diadema, onde o partido iniciou, Sorocaba e Campinas, todas em SP). Eduardo Campos e Aécio Neves se cacifaram para o pleito de 2014, podendo até formar uma chapa forte para tentar barrar a reeleição de Dilma Rousseff.

Mas acima de tudo, o efeito Lula.  Novamente consegue passar incólume pela tempestade, apostando naquilo que sempre deu certo: discursos recheados de populismos e metáforas futebolísticas, já que essas são as únicas linguagens que o populacho entende. Ele acertou ao dizer que as pessoas estão muito mais interessadas em saber qual time será rebaixado no campeonato nacional de futebol. Esse é o perfil do brasileiro médio. Se fosse o contrário, o PT seria erradicado do mapa. Mas parte de sua sobrevida se deveu também à oposição. Sempre fraca e omissa, desde que o Partido dos Trabalhadores chegou ao poder, PSDB, DEM e PPS(o PSOL é o único que se salva) parecem apenas dar cabeçadas. Nunca cacifaram os escândalos em que o partido de Lula esteve envolvido (até porque o PSDB tem seu telhado de vidro), preferindo satanizar o lulismo. Isso, pra quem sabe como manipular as pessoas menos favorecidas (o eleitor médio de Lula, aqueles que o veem como “painho”) é um prato cheio.



   Sua audácia só é comparável coma desfaçatez em negar o mensalão (que muito provavelmente teve sua participação direta). Mas, ainda sim, pode-se dizer que ele também perdeu. Nunca antes na história desse país houve uma abstenção tão grande (quase 30% no primeiro turno, em todo o país, e cerca de 25% no segundo turno). Isso se deveu àquele pensamento comum de muitas pessoas de que:  ”político é tudo igual”. Pra que isso vire um desencanto, levando inúmeras pessoas a não votar ou anular seu voto, é necessário um grau de desapontamento muito grande. Isso aconteceu, e graças ao PT. Já é um avanço.


      Próxima parada: 2014



segunda-feira, 29 de outubro de 2012

O Atentado do Riocentro






 Gonzaguinha pede a atenção da plateia de 20 mil pessoas e comunica, pausadamente: "Durante o espetáculo, explodiram, eu disse explodiram, duas bombas." Em seguida, como se lê no texto em destaque nesta página, faz um breve discurso em favor da democracia e daquele evento - o show "1 de maio", que acontecia por seu terceiro ano consecutivo. Aquela fala dita em 30 de abril de 1981 carrega  na ênfase da repetição da palavra "explodiram", na ideia da democracia não como uma dádiva natural, mas sim como algo que deve ser conquistado, na reação calorosa do público em aplausos e urros confirmando essa ideia - o calor daquela noite histórica, que agora completa 30 anos, lembrada como a noite da bomba do Riocentro, na qual um atentado frustrado matou um sargento que levava o artefato no colo.


 Um registro sonoro que poderá ser ouvido num CD que chegará às lojas em breve, mostrando o que aconteceu no palco enquanto a História se desenrolava do lado de fora do pavilhão.

A fala de Gonzaguinha - momento em que se estabelece de forma mais contundente a relação entre o show e a bomba - ocupa apenas alguns segundos da gravação. Uma breve pausa num evento que celebrava muitos dos artistas mais populares e representativos da MPB de então. A fita que originou o CD foi encontrada pelo pesquisador Marcelo Fróes no arquivo do Instituto Cravo Albin e traz apenas uma parte da noite. Estão lá Gal Costa, Moraes Moreira, MPB-4, Beth Carvalho, Dona Ivone Lara, Gonzaguinha e Gonzagão.


- Tenho uma parceria com o Instituto Cravo Albin para lançar gravações de seus arquivos pelo meu selo, o Discobertas, que lançará esse registro do Riocentro - explica Fróes, lembrando como encontrou a fita. - Estive lá um dia, no fim do ano passado, e ocasionalmente vi essa fita de rolo na estante. Tinha uma etiqueta na qual estava escrito apenas "1 de maio". Eu já tinha as gravações das edições anteriores, de 1979 e 1980, e fui ouvir a fita ansioso para que fosse a de 1981, inédita. E era. Show de 1981 foi o último da série.


O pesquisador chegou a pensar em lançar uma caixa com as três edições do evento - aquele show de 1981 foi o último da série, organizada pelo Centro Brasil Democrático (entidade ligada ao Partido Comunista Brasileiro, então na ilegalidade). Mas desistiu:
- A gravação de 1980 chegou a sair em LP, mas a de 1979, que tenho em fita, é muito ruim, não dá para lançar. Preferi trabalhar, então, somente com essa fita de 1981. Moraes Moreira ficou muito entusiasmado com a fita. Mandei para ele sua gravação para que pudesse ouvir e ele me respondeu: "Não sei como vai ficar sua masterização, mas essa está ótima. Cuidado para não estragar".


O registro do show de 1981 ouvido pelo GLOBO, ainda sem masterização, tem realmente a qualidade compatível com a de outros registros ao vivo feitos na década anterior - e tornado clássicos, como o CD "Caetano e Chico - Juntos e ao vivo" ou "Barra 69". E a noite do Riocentro tem, é claro, a inegável força de documento histórico. Portanto, acredita Fróes, ele pode e deve ser lançado.- Sou daqueles que acreditam que cada imagem conta uma história, ou, no caso, cada som. Existem coisas muito preciosas em arquivo, como essa, que contam uma parte da História do país - defende.





O pesquisador Ricardo Cravo Albin, que estava no Riocentro naquela noite, acrescenta:
- É importantíssimo resgatar o som que testemunhou esse grande momento histórico.
Beth Carvalho, que foi testemunha privilegiada daquele episódio, como uma das atrações da noite, também reforça a importância do lançamento do CD:
- Foi um momento histórico no país. Se aquela bomba realmente explodisse, ia dizimar uma grande parte da música popular brasileira. Esse registro vai emocionar as pessoas que sabem que somos sobreviventes daquele episódio. Eu estava cantando e o leite escorria do meu peito. Naquela época, eu amamentava minha filha Luana e só saí de casa naquela noite porque era um show de cunho político, o Dia do Trabalhador, de que sempre faço questão de participar - diz a cantora, que comandará, no próximo 1 de maio, o "Show do Trabalhador", realizado na Quinta da Boa Vista.Leia a íntegra da reportagem no GLOBO Digital (apenas para assinantes)


Fonte: ( O GLOBO )

O ATENTADO

A explosão ocorreu dentro de um automóvel puma, na noite de 30 de abril de 1981, com a bomba no colo do Sargento do Exército Guilherme Pereira do Rosário, cuja morte foi instantânea. Ao lado do sargento, no volante, estava o Capitão Wilson Luiz Chaves Machado, o qual, ato contínuo, sai do Puma segurando vísceras à altura do estômago.


Havia no Riocentro uma multidão de 18.000 pessoas, assistindo a 
um show artístico em homenagem ao Dia do Trabalhador. No momento da eclosão - 21 h20m - cantava Elba Ramalho.


Somente, pois, não aconteceram o pânico e a histeria coletivos porque o explosivo estourou no colo do sargento. O plano visava exatamente a multidão. Tanto que uma segunda bomba explodiu alguns minutos depois na casa de força do Riocentro. Sua carga não foi suficiente para afetar os dispositivos produtores da iluminação e o show continuou sem o público ficar sabendo do que se passara. É oportuno lembrar, a propósito, que os planos de Burnier, no caso Para-Sar, também incluíam destruição de instalações de força e luz. 


Na tarde daquele dia o sargento e o capitão tinham sido vistos no restaurante Cabana da Serra, na estrada Grajaú - Jacarepaguá. Garçons suspeitaram tratar-se de assaltantes de bancos, porquanto estavam à paisana, armados e a examinar um mapa. Chamaram a polícia. Compareceram dois soldados da rádio-patrulha. Os estranhos identificaram-se como agentes da Polícia Federal. Em face disto os garçons apenas anotaram as chapas dos seus veículos, entre estes o Puma - placa OT-0279. O encontro, ali, do sargento e do capitão, viria depois a ser por este confirmado.





Guilherme e Wilson chegaram ao Riocentro faltando dois minutos para as 21 horas. O capitão pagou o bilhete de n.º 64.270 a fim de estacionar o seu carro. Às 21 h07m o comerciário João de Deus Ferreira Ramos estaciona seu Volkswagen ao lado direito do Puma chapa OT-0279 e cumprimenta seus dois ocupantes, mas nem o Sargento Rosário nem o Capitão Machado respondem. Ferreira Ramos diz ter certeza da hora exata porque já estava atrasado para o show e se confessa "um maníaco por horários". No final do show, estarrecido ao saber da explosão, ele contaria seu encontro com os dois militares. Nos dias seguintes, porém, o comerciário passaria a fugir da imprensa para não falar do caso. Mas acabou depondo.
Esse depoimento é importantíssimo porque revela que, no mínimo sete e no máximo doze minutos antes da explosão da bomba no colo do sargento, este e o capitão se encontravam no Puma, já que às 21 h15m/21 h20m, "o Capitão Wilson Luiz Chaves Machado liga o motor do seu automóvel, engata a marcha a ré e começa a sair da vaga onde estivera estacionado.


Dentro do pavilhão de espetáculos, a cantora Elba Ramalho ainda não terminou seu número; distante dali, na bilheteria do estacionamento, Tenente César Wachulec está contrariado: além de ter sido afastado da chefia de segurança, ele constata que a Polícia Militar não enviou os soldados que havia solicitado. O pátio do estacionamento está despoliciado. O carro do Capitão Machado percorre poucos metros. Mal saiu da vaga e uma bomba explode em seu Interior" . 


Aproximadamente vinte e cinco minutos depois, uma neta do Senador Tancredo Neves - Andréa Neves da Cunha, que acabara de chegar para o show, com seu noivo Sérgio Vali  - leva em seu carro o capitão para o hospital Lourenço Jorge. Mas os médicos preferem atendê-Io no Hospital Miguel Couto e o conduzem para ali. Apesar da gravidade dos ferimentos o capitão escapa.


Retratos de um Brasil que,espera-se ,não volte mais...


Fonte: CMI Brasil




sábado, 27 de outubro de 2012

O esquerdista fanático e o direitista visceral: dois perfeitos idiotas







Do site Pragmatismo Político


Nada mais parecido a um esquerdista fanático, desses que descobrem a nefasta presença do pensamento neoliberal até em mulheres que o repudiam, do que um direitista visceral, que identifica presença comunista inclusive em Chapeuzinho Vermelho.
Os dois padecem da síndrome de pânico conspiratório. O direitista, aquinhoado por uma conjuntura que lhe é favorável, envaidece-se com a claque endinheirada que o adula como um dono a seu cão farejador. O esquerdista, cercado de adversários por todos os lados, julga que a história resulta de sua vontade.

O direitista jamais defende os pobres e, se eventualmente o faz, é para que não percebam quão insensível ele é. Mas nem pensar em vê-lo amigo de desempregados, agricultores sem terra ou crianças de rua. Ele olha os deserdados pelo binóculo de seu preconceito, enquanto o esquerdista prefere evitar o contato com o pobre e mergulhar na retórica contida nos livros de análises sociais.
O esquerdista enche a boca de categorias teóricas e prefere o aconchego de sua biblioteca a misturar-se com esse pobretariado que nunca chegará a ser vanguarda da história.
O direitista adora desfilar suas ideias nos salões, brindado a vinho da melhor safra e cercado por gente fina que enxerga a sua auréola de gênio. O esquerdista coopta adeptos, pois não suporta viver sem que um punhado de incautos o encarem como líder.
O direitista escreve, de preferência, para atacar aqueles que não reconhecem que ele e a verdade são duas entidades numa só natureza.
O esquerdista não se preocupa apenas em combater o sistema, também se desgasta em tentar minar políticos e empresários que, a seu ver, são a encarnação do mal.

O direitista posa de intelectual, empina o nariz ao ornar seus discursos com citações, como a buscar na autoridade alheia a muleta às suas secretas inseguranças. O esquerdista crê na palavra imutável dos mentores do marxismo e não admite outra hermenêutica que não a dele.
O direitista considera que, apesar da miséria circundante, o sistema tem melhorado. O esquerdista vê no progresso avanço imperialista e não admite que seu vizinho possa sorrir enquanto uma criança chora de fome na África.
O direitista é de uma subserviência abjeta diante dos áulicos do sistema, políticos poderosos e empresários de vulto, como se em sua cabeça residisse a teoria que sustenta todo o edifício de empreendimentos práticos que asseguram a supremacia do capital sobre a felicidade geral.

O esquerdista não suporta autoridade, exceto a própria, e quando abre a boca plagia a si mesmo, já que suas minguadas ideias o obrigam a ser repetitivo. O direitista é emotivo, prepotente, envaidecido. O esquerdista é frio, calculista e soberbo.
O direitista irrita-se aos berros se encontra no armário a gola da camisa mal passada. Dedicado às grandes causas, as pequenas coisas são o seu tendão de Aquiles.
O direitista detesta falar em direitos humanos, e é condescendente com a tortura. O esquerdista admite que, uma vez no poder, os torturados de hoje serão os torturadores de amanhã.

O direitista esbraveja por ver tantos esquerdistas sobreviverem a tudo que se fez para exterminá-los: ditaduras militares, fascismo, nazismo, queda do Muro de Berlim, dificuldade de acesso à mídia etc. O esquerdista considera o direitista um candidato ao fuzilamento.
Direitista e esquerdista – os dois são perfeitos idiotas. O direitista padece da doença senil do capitalismo e o esquerdista, como afirmou Lênin, da doença infantil do comunismo.
Embora mineiro, não fico em cima do muro. Sou de esquerda, mas não esquerdista. Quero todos com acesso a pão, paz e prazer, sem que os direitistas queiram reservar tais direitos a uma minoria, e sem que os esquerdistas queiram impedir os direitistas de acesso a todos os direitos – inclusive o de expressar suas delirantes fobias.

Frei Betto é escritor, autor do romance “Minas do Ouro” (Rocco), entre outros livros.






sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Erros de pesquisas eleitorais podem resultar em CPI na Câmara




   Finalmente,uma decisão sábia dos "nobres" congressistas. Claro que eles estão, apenas e tão somente,advogando em causa própria. Mas já é um começo.
 
   Para um país de idiotas com títulos eleitorais,pesquisas são perigosos artifícios que ajudam na tática de ludibriar os despolitizados de plantão (e são inúmeros).

   E institutos malfadados como Ibope e Datafolha merecem ser investigados há tempos.




LINK ORIGINAL AQUI







Casa de Detenção - Rio de Janeiro, 12/8/1936






Dª. Ermelinda.
Afetuosos cumprimentos.

Conhecendo-a há bastante tempo, pelas muitas vezes que o Carlos se tem referido a seu nome, resolvi escrever-lhe, não só para lhe dar notícias nossas, como também para iniciarmos as nossas relações mais íntimas, pois tenho a esperança que nós ainda nos encontraremos e mesmo que a senhora irá conhecer o seu bisneto.

Quero dar-lhe notícias nossas, somente as principais, pois será difícil descrever-lhe todos os incidentes dos nossos longos meses de prisão. Numa das vezes em que fui chamada à Polícia Central, o Dr. Belens Porto, encarregado do inquérito, me disse que a Senhora havia escrito uma carta ao Carlos. Não sei, porém, se tal carta terá chegado às mãos do destinatário, nem se a Polícia terá permitido que ele respondesse.

O Carlos continua no quartel da Polícia Especial, numa incomunicabilidade completa, que já dura há mais de 5 meses. As autoridades não consentem que ele leia jornais e nem mesmo livros. Ele se encontra isolado, numa sala, a porta daquela ficando sempre aberta, para permitir aos guardas uma vigilância permanente. – A Senhora poderá bem imaginar quanta energia deve custar ao Carlos enfrentar todas estas torturas morais. – Talvez os antigos companheiros e amigos do Carlos possam auxiliar no sentido de que pelo menos livros e revistas lhe sejam entregues.

Da Europa, D. Leocadia já me escreveu, mas sob o pretexto de minha incomunicabilidade, a Polícia impediu a entrega da carta, como também não tive a possibilidade de escrever-lhe. Soube, porém, que ela tem desenvolvido uma grande atividade no sentido da defesa do Carlos.

Quanto a mim, estou, nestes últimos tempos, mais confortada pela presença de várias companheiras de prisão, que já se tornaram minhas amigas. No começo estive também incomunicável. Ultimamente, porém, fui transferida para a sala das mulheres, presas políticas, na Casa da Detenção. Assim é que vim a conhecer entre outras, a Rosa, irmã do Silo, e a Maria Werneck, cujo marido está também preso e que descende de uma família gaúcha.
De saúde, tenho tido bastantes abalos, provocados de um lado pela gravidez (agora já no sétimo mês) devido às condições da prisão, como ainda mais pelas aflições que me dá a inquietude sobre o estado do Carlos. Até hoje e depois da nossa prisão não tive a possibilidade de vê-lo e só recebi algumas cartas dele, em que falava do nosso filho e das providências relativas à nossa defesa.

Corre um processo de expulsão contra mim, por ter eu nascido no estrangeiro. Numa de suas cartas o Carlos comenta este passo do Governo da seguinte maneira: “Tu compreendes que o teu processo de expulsão é a forma jurídica encontrada pelo atual governo para tornar efetivo mais um ato de perseguição política contra mim... Preciso assistir com coragem aos golpes que, impotentes para assestarem diretamente contra mim, dirigem contra as pessoas a quem dedico o meu maior afeto.”

Enfrentando tais perseguições absurdas e diante dos golpes da reação, asseguro à Senhora que, com a mesma coragem com que anteriormente acompanhei o Carlos na luta, mostrar-me-ei, agora, digna do nome dele.

A respeito da minha expulsão, estou confiante que a simpatia pública impeça este ato completamente fora da lei e espero que darei à luz ao filho do Carlos aqui em terra brasileira.
Era o que de essencial eu tinha a dizer nessa primeira carta, que lhe escrevo.
Queira receber um afetuoso abraço de sua neta Maria**



                                       (Olga Benário)


*Carta escrita na Casa de Detenção (RJ), onde Olga estava presa desde março de 1936, antes de ser extraditada para a Alemanha nazista pelo governo de Getúlio Vargas, em setembro daquele ano, no sétimo mês de gravidez.

**Olga nunca reconheceu, perante a polícia, seu verdadeiro nome e sua verdadeira nacionalidade; com firmeza revolucionária, reafirmou sempre o nome que constava no passaporte - Maria Vilar.
Arquivo Alfredo Felizardo (RS)


FONTE: Instituto Luiz Carlos Prestes








quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Policial usa arma de choque contra manifestante pacífico no Rio de Janeiro












É evidente que para protestar,não há necessidade de proibir as pessoas de "ir e vir". Bloquear ruas e avenidas é sinal claro de idiotice crônica e de desrespeito com o próximo. Mas truculência policial é o fim da picada. Agressão covarde contra mulheres beira as raias do absurdo


do    Anonymous Rio
 




Por que a Unesco aceita que o projeto Criança Esperança aceite doações para uma entidade como a Rede Globo?






A campanha

O Criança Esperança é uma iniciativa da Rede Globo em parceria com a Unesco, que tem o objetivo de mobilizar a sociedade para a garantia de direitos de crianças e adolescentes. Todo ano, a campanha mobiliza os brasileiros para doarem recursos, depositados diretamente na conta da Unesco, que seleciona projetos sociais em todo o Brasil por meio de um edital. Em 2012, o Criança Esperança apoia 114 projetos, beneficiando mais de 30 mil crianças e adolescentes. 


27ª edição do Criança Esperança, celebrada com um show na noite de 19/08, conseguiu arrecadar mais de R$ 10,3 milhões. 
Fonte Site da Globo

Os números são de alegrar o coração de qualquer doador, seria tudo muito bonito se não fosse o fato de que existe sem resposta  algumas questões que deveriam ser pensadas  por todas as pessoas antes de fazerem suas doações. Você já se perguntou para onde vai realmente todo este dinheiro arrecadado? Ou uma questão mais simples: Esses projetos ou entidades que recebem as doações são idôneas naquilo que se propõem a fazer pelas crianças?


E antes que alguém venha me criticar dizendo que não tenho amor pelo próximo, ou que todos deveriam ajudar afinal de contas é tudo pelo bem estar de milhares de crianças,quero que fique bem claro: Longe de mim  usar este espaço para criticar a conduta de quem faz as doações,  cada um acredita no que quer. 

O Video abaixo vai ajudar a você meu estimado leitor(a) a  entender




Criança Esperança: Você está pagando imposto da Rede Globo! Quando a Rede Globo diz que a campanha Criança Esperança não gera lucro é mentira!!! 

Porque no mês de ABRIL do ano seguinte, ela (TV Globo) entrega o seu imposto de renda com o seguinte desconto: doação feita à Unicef no valor de... aqui vem o valor arrecadado no Criança Esperança. Ou seja, a Rede Globo já desconta pelo menos 20 e tantos milhões do imposto de renda graças à ingenuidade dos doadores! 


Agora se você vai colocar no seu imposto de renda que doou R$7,00 R$15,00 R$30,00 ou mais para Criança Esperança, não pode, sabe por quê? Porque Criança Esperança é uma marca somente e não uma entidade beneficente. Já a doação feita com o seu dinheiro para o Unicef é aceito. E não há crime nenhum. 

Assim funciona o golpe... 

Pelo telefone: 
Para doar R$ 7,00 
0500 2011 007 
Para doar R$ 15,00 
0500 2011 015 
Para doar R$ 40,00 
0500 2011 040 
e... pasmem, sem contar os impostos... pagos por você! 
Telefone Fixo: R$ 0,39 + impostos 
Telefone Celular: R$ 0,71 + impostos 





Aí, você doou à Rede Globo um dinheiro que provavelmente (eu disse PROVAVELMENTE) foi entregue à Unicef, porém, por que descontar na Receita Federal como doação da Rede Globo e não na sua? 

Do jeito que somos tungados pelos impostos, bem que tal prática contábil tributária poderia se chamar de agora em diante de Leão Esperança. 

Lição: 

Se a Rede Globo tem o poder de fazer chegar a mensagem dela a tantos milhões de televisores, também nós temos o poder de fazer chegar a nossa mensagem a milhões de computadores! 

A REDE GLOBO DIZ QUE O DINHEIRO VAI DIRETO PARA UMA CONTA DA UNICEF, MAS, POR QUE ELA NÃO DÁ O NÚMERO DA CONTA??? 
LEMBRANDO SEMPRE: O QUE PESA MESMO SÃO OS IMPOSTOS SOBRE NOSSO CONSUMO, EXERÇAMOS ESTE PODER - DEVER, ENVIANDO ESTE TEXTO À LISTA DE AMIGOS E CONTATOS !!! 
A DECISÃO É SUA!!! 




quarta-feira, 24 de outubro de 2012

A DEPUTADA MAIS ESQUIZOFRÊNICA DA POLÍTICA BRASILEIRA








  Mulher esclerosada,sem o mínimo de traquejo social. E ainda há idiotas que votam em políticos desse naipe...

  Não obstante o fato de ameaçar colegas blogueiros (literalmente)   VEJA O ABSURDO AQUI  ;

  Ser uma 'funcionária pública' (nós pagamos seu salário e,até onde me consta ,em dia);

  E debochar da cara do eleitor,me pergunto como a população fluminense ainda elege temeridades iguais a essa?

  Figuras iguais a essa são o retrato de um país cujo eleitor elege e depois esquece da burrada que fez;e quem acaba sofrendo é o restante da população que não cometeu a temeridade de usar o voto em coisas similares.

  Seria bom que os eleitores (do Brasil inteiro) se preocupassem mais com os postulantes a cargos eletivos,do que se alienar  e ver apenas o que se passa na novela das 9.


   Abaixo, a réplica da deputada Clarissa Garotinho, batendo pesado na Cidinha Campos :




    Abaixo, uma outra denúncia contra a malfadada política :




   ACORDA BRASIL!!!!



   Leia também :

A Desordem e a Falta de Vergonha

A Fábula da Corrupção



terça-feira, 23 de outubro de 2012

VOCÊS, POLÍTICOS...








* Com seus sonhos de grandeza e ambições descabidas, mesmo sendo pessoas moralmente pequenas;



* Com sua eterna mania de usar o populacho como escudo e bucha de canhão;

* Com seus escândalos em seus armários, mas insistindo em apontar os dos concorrentes;



* Com a mania cretina de usar uma faceta como oposição e outra completamente diferente como situação;

* Que insistem em fazer do erário público propriedade particular;



* Que confundem banheiro com Congresso Nacional;

* Que apenas parecem honestos, sem na verdade procurar ser na prática;



* Que fingem se preocupar com as mazelas do país, quando apenas e tão somente tiram proveito e lucro das situações adversas da população;




* Que olham para o cidadão em períodos sazonais (a cada quatro anos) mostrando o quão conveniente é a política brasileira;




* Que em suas convenções partidárias cantam Hino Nacional, citam a Constituição e enaltecem a nossa República, enquanto na vida real, atropelam todos os símbolos nacionais, sem se importar com as consequências, sempre confiantes na covardia da “imunidade parlamentar”;

* Que dizem conhecer o caminho para o progresso do país, quando na verdade são os principiais causadores do nosso atraso;


                                             (4/9/27 - 20/07/2007)

* Que chafurdam em suas mordomias e salários milionários, enquanto a população agoniza com a miséria de um salário mínimo;

* Que acham ter apenas direitos, nunca deveres;



*Que preferem regalias, ao trabalho duro;

* Que nunca nos pedem autorização para reajustar os próprios salários (indecentes, por sinal), mas que na hora de reajustar o do povão, seguem metodologias previamente decididas nos gabinetes, ao apagar das luzes, sem a presença dos maiores interessados;



* Que confiam cegamente na justiça, sabendo previamente, por mais que as evidências digam o contrário, sempre merecerão indultos ou arquivamentos, ou acórdão de bastidores para se safarem;

* Que aceitam votar projetos e leis,junto com o executivo (seja lá quem for) mediante liberação prévia de verbas extras (que no mundo real isso é chamado de SUBORNO);





* Com suas táticas do malfadado “toma lá, da cá”, sem pudor ou moral, à luz do dia, com a desculpa da “governabilidade”;


* Que outrora militaram na esquerda e hoje enchem as fileiras da direita mais conservadora (que sempre foi criticada, em rompantes de demagogia), apoiando e elogiando publicamente os velhos coronéis responsáveis pelo atraso do país;



* Por mais que falem sobre as novidades sempre serão o atraso, representarão o que há de mais retrógrado na história da nação;

* Que procuram ganhar sempre mais, trabalhando cada vez menos;




* Que nas tragédias veem oportunidades de enriquecimento ilícito...


Enfim, você que não se incomoda em envergonhar o país inteiro, pedimos encarecidamente, que tenha a decência de se desculpar com o Brasil. Valorizando a chance de servir (ainda que à custa de salário milionário) a sociedade, percebendo a importância de um político para todos (quando este é honesto e digno o suficiente).




    A todos vocês, obrigado pela atenção.


                                       ASS. – apenas um eleitor/cidadão