Follow by Email

quarta-feira, 26 de março de 2014

UM IMPÉRIO MEDIEVAL E DECADENTE



Como surge um império? Geralmente, com o propósito de dominação e exploração. 

É o caso da milenar Igreja Católica Apostólica Romana. Surgiu se apropriando de um movimento popular (Cristianismo) que se opunha ao estado de coisas vigente em Roma, no século II; com o crescente apoio da população, era natural absorver a revolução, antes que se tornasse incontrolável.


Mas esse “golpe” deveria ter viés oficial. Os perpetradores do estratagema contavam com a ignorância de boa parte de seus fiéis e com a massificação –diga uma mentira, várias vezes, e ela se torna verdade.

O primeiro engodo veio com a presunçosa alegação de que Pedro, o apóstolo, era o fundador da Igreja. Até hoje os nomes se mantém: o Trono de Pedro, a Basílica de São Pedro. Mas nenhum dos prosélitos de Cristo passaram ou se estabeleceram em Roma para que tal afirmação fizesse sentido. Mas o populacho aceitou. Impingia-se nas mentes tacanhas que Roma tinha uma autoridade especial, exatamente por seu “vínculo” com Pedro. E começam aí as mentiras.


Para se investir de autoridade divina, São Jerônimo foi incumbido de fazer a edição final da bíblia, que ganharia o estranho adjetivo de '‘sagrada’'. 

Jerônimo teve em suas mãos livros escritos em latim, hebraico e grego. Ele decidiu o que faria parte da edição derradeira e o que não combinava com o que a recém-criada igreja Católica queria. Inúmeros escritos ficaram de fora, por contestarem coisas que seriam sumariamente violadas por Roma. Vide OS MANUSCRITOS DO MAR MORTO.


O mundo, hoje segue a bíblia que a igreja criou. Excetuando-se a dos evangélicos que tem seis livros a menos, após a reforma de Matinho Lutero. Mas o império tinha, enfim, o '‘livro oficial de deus’'. E com ele começou a governar.

Mas todo império necessita de vultuosas somas de dinheiro, de riquezas para se manter. Mas se uma empresa não produz, como arrecadar? 

Uma fonte importante de renda era a contribuição compulsória, ou dízimo. A Igreja Católica institucionalizou a cobrança no Concílio de Macon, em 585, estabelecendo a quantia de 10% das posses dos fiéis. 


A coleta dava certo, mas não condizia com a ambição descabida dos clérigos, cada vez mais ávidos em enriquecer rapidamente, contrariando a velha máxima de Jesus: “dê de graça o que recebeste de graça”.

A venda de indulgências caiu como uma luva. Mediante ouro ou joias, pessoas acreditavam piamente que seriam perdoadas se confessassem com um padre ou bispo, desde que também contribuíssem para a “causa do senhor”. Os pecados foram “catalogados”. Assassinatos: 20 Ave-Maria, mais algumas joias; roubo, 10 Pai Nosso e moedas de prata. E assim sucessivamente. Deus perdoava, mas por uma quantia módica.

Também se tornou recorrente a cobrança de valores para '‘salvar entes queridos do purgatório’'. Como um representante “oficial” de deus na terra, somente o papa poderia salvar determinada pessoa. Indo para o céu ou inferno, dependia da quantidade paga pela intercessão papal. Algo que fere o raciocínio lógico, além de demonstrar uma total falta de caráter.


O líder máximo da Igreja passava a ser considerado como o homem mais poderoso do mundo ocidental. Reis eram submetidos a sua aprovação; guerras eram iniciadas a seu bel prazer. O destino da vida dos fiéis eram determinados por ele. Era imposto ao mundo a visão e vontade egoísticas de um só homem, travestida de “vontade divina”.

Até nos nomes oficiais a presunção era escancarada. O nome “papa” é meramente fantasia. Autoproclamado como VIGÁRIO GERAL DE DEUS NA TERRA, PRÍNCIPE DE DEUS, VIGÁRIO DO FILHO DE DEUS e PRÍNCIPE DO CLERO, num gesto de megalomania aguda.

A igreja se tornara um império financeiro com o advento do Banco do Vaticano. Uma fonte de riquezas ímpar na Terra. Nenhum reino tinha tamanho poderio econômico. 

O “supremo pontífice” via seu domínio aumentar, quando as descobertas de Espanha, Portugal e Inglaterra chegaram a um novo continente. Além de dar apoio às expedições (por módicas quantias em retorno), era a forma de ampliar os tentáculos da empresa. 


Vozes dissonantes eram levadas às câmaras de torturas das igrejas. Perante o tribunal da “santa” Sé, o acusado deveria retirar o que havia dito ou escrito (como por exemplo “a terra é redonda”). Em caso de negativa, o réu era queimado em praça pública. Para justificar tamanha barbárie era usada a bíblia; mas no mesmo livro, as passagens “ame ao teu próximo como a ti mesmo”, ou “perdoai até 7 vezes 70”, eram, convenientemente ignoradas.

A ampliação do império católico era sem precedentes. Seu domínio assustava. A Igreja convenceu o mundo que a figura papal era mais importante do planeta e, conseguinte, deveria ser venerada incondicionalmente.

Não havia mais humanidade (se é que existiu em algum momento da história de Roma), nem vínculos com os primórdios da cristandade. A humildade e o amor e dedicação ao próximo foram trocados pela usura, corrupção e luxúria. A figura simplória de Cristo fora esquecida, exatamente por representar o desapego às riquezas e o distanciamento do poder -- "a César o que é de César, e a deus o que é de deus”. Enfim, o que era sagrado virou profano. Na lama em que se encontrava o Vaticano, praticamente nada se salvava.

O que leva alguém ao sacerdócio? E como se vai de um idealismo (servir ao próximo) à ganância descabida? 

Barganhando milagres como uma meretriz, o papa (seja quem for) lesava a pura e verdadeira fé dos primeiros seguidores de Jesus. Os poucos que ousaram se rebelar contra tamanha perfídia foram expulsos, excomungados, desacreditados ou lançados à fogueira.

Nos cultos, os preceitos eram repetidos mecanicamente. A palavra '‘deus’' apenas algo decorativo. Os pobres, objetivo maior dos ensinamentos do Messias, relegados à própria sorte. Assim como nos três poderes, também no seio da igreja havia corruptos, desvios de dinheiro e constante ofensa aos ensinamentos de seu pretenso fundador.

Ainda no século XVIII, a mais enojante das ações vindas de Roma: foi-se instituído a INFALIBILIDADE PAPAL. Trocando em miúdos, um papa, fosse quem fosse, NUNCA errava. Era imune à falhas. Seu grau era de perfeição absoluta. Mais uma cusparada na cara das pessoas racionais. Mas também com esse último disparate, a até então incontestável  figura do pontífice fora coberta de criticas. França foi responsável pela derrocada do Vaticano e seu poderio mundial.


Alianças com ditadores, apoio a regimes de exceção, conluio com pessoas de caráter duvidoso e silêncio conivente com holocaustos se tornaram a tônica de uma já decadente Igreja. Os ecos do protestantismo tomando seus fiéis, fizeram com que o Vaticano endurece o discurso. Mas pouco adiantou. Sem poder recorrer ao fogo, companheiro de longa data, o Papa agora se via obrigado a recriminar seus desafetos. 

Todos os clérigos ao redor do mundo faziam algo semelhante. Covardemente escondidos atrás de seus púlpitos, vociferavam palavras negativas e conclamando seus discípulos a se oporem aos que criticavam os ensinamentos do Santo Padre”. 
O Vigário de deus, com suas roupas majestosas inspiradas nos antigos sacerdotes egípcios, com seus sacramentos e trindade, também copiadas descaradamente do antigo Egito ainda mantém o status de maior religião do mundo. Em franca decadência, é claro. Mas mantém a primazia em muitas nações.


Uma instituição que tem imóveis pelo planeta afora (pratica a especulação imobiliária), seu banco próprio (envolto em inúmeros escândalos), com sucessivos caos de abusos de menores em suas fileiras, não poderia nem remotamente dizer que representa o criador, na terra. Usar o nome de Pedro para legitimar sua fundação é um grosseiro desrespeito a sua memória de simples batalhador pela causa justa. Dizer que fala em nome de Jesus é um acinte, já que ele andava entre mendigos, prostitutas e leprosos. Coisas impensáveis para os pomposos clérigos católicos que nadam em dinheiro e repelem pobres.

Cabe à nova direção da empresa (papa Francisco) mudar a imagem desgastada da multinacional, antes que o estrago seja irreparável. 

Sua tática de aceitar homossexuais na igreja, permitir em determinadas condições, o uso de métodos anticoncepcionais, abdicar publicamente do luxo e abrir investigação interna sobre os casos de pedofilia mostram um sinal positivo, principalmente se for algo palatável. 

Francisco, assim como seu predecessor, tem o nome envolto em escândalos. Acusam o Pontífice de apoiar os ditadores na Argentina durante a ditadura militar, assim como Bento XVI era nazista e militou na causa por muito tempo, além de ter encoberto muitos padres e bispos pedófilos. 

Uma guinada na maneira como se encara os demônios internos, pode dar ao Vaticano uma visão mais positiva da população mundial. 

Pra quem depende, e muito, do dinheiro alheio para sobreviver no mercado, a Igreja Católica demorou muito para fazer uma auditoria interna para sanar seus problemas administrativos. Talvez não seja tarde demais.




quarta-feira, 19 de março de 2014

UM PERFEITO RAIO-X DO BRASIL




12 Páginas de uma Revista Francesa (France Football) que resumem o Brasil em todos os sentidos:


- Apesar do lema brasileiro: “Ordem e Progresso”, o que menos se vê na preparação deste mundial, é Ordem ou Progresso.
- A FIFA não pediu o Brasil para sediar a Copa, foi o Brasil que procurou a FIFA e fez a proposta.
- A corrupção no Brasil é endêmica, do povo ao governo.
- A burocracia é cultural, tudo precisa ser carimbado, gerando milhões para os Cartórios.
- Tudo se desenvolve a base de propinas.
- Todo o alto escalão do governo Lula está preso por corrupção, mas os artistas e grande parte da população acham que eles são honestos, e fazem campanhas para recolher dinheiro para eles.
- Hoje, tudo que acontece de errado no Brasil, a culpa é da FIFA, antes era dos EUA, já foi de Portugal, o brasileiro não tem culpa de nada.
- O Brasileiro dá mais importância ao futebol do que à política.
- O Brasileiro elege jogadores de futebol para cargos públicos.
- Romário (ex-Barcelona) é hoje deputado. Aproveita o descontentamento com a Copa para se auto-promover, mas nunca apresentou um projeto de lei sobre saúde ou educação. Sua meta é dar ingresso da Copa para pobre(como se essa fosse a prioridade para um pobre brasileiro)
- O Deputado mais votado do Brasil é um palhaço analfabeto e banguela, que faz uma dança ridícula, com roupas igualmente ridículas, e seu bordão é: “pior que está não fica”. Será?
- Em uma das músicas deste palhaço analfabeto ele diz: “Ele é ladrão mas é meu amigo!”, Isso traduz bem o espírito do Brasileiro. 




- Brasileiros se identificam com analfabetos.
- A carga tributária do Brasil é altíssima maior que a da França, e os serviços públicos são péssimos comparáveis aos do Congo.
- Mas o Brasileiro médio pensa que ele mora na Suíça. Quem está lá, na verdade, é a FIFA.
- Há um dito popular que diz que “Deus é brasileiro”.
- A FIFA, como imagem institucional, busca não associar-se a ditaduras. Tanto que excluiu a África do Sul na época do Aparthaid e, ao contrário do COI, recusou a candidatura da China, apesar das ótimas condições que o país oferecia. Mas o Brasil, sede da Copa, vive um caso de amor com ditaduras.
- O Brasil pleiteava uma cadeira no Conselho de Segurança da ONU, para sentar-se ao lado França, mas devido ao seu alinhamento com ditaduras, a França já se manifestou contrariamente.
- A Presidente Brasileira parece estar alienada da realidade e diz que será o melhor mundial de todos os tempos, isso, melhor que o do Japão, dos EUA, da França, da Alemanha.
- Só ela pensa assim, na FIFA se fala em maior erro estratégico da história da Instituição.

CONFRONTOS:

- Ano passado os brasileiros saíram as ruas para manifestar, pela primeira vez se viu um movimento assim num país acostumado a inércia, mas o Governo disse que eles eram baderneiros e reprimiu o movimento com violência. 2 mortos, mais de 2000 feridos, mais de 2000 prisões. Ninguém responsabilizado...
- Há um movimento chamado “Black Blocs” que ameaça revidar a violência do Governo.
- Há um # hastag que já foi repetido mais de 500.000.000 de vezes em redes sociais e ameaça
#naovaitercopa
- Os próprios brasileiros pedem para os estrangeiros não irem para o Brasil. Há milhares de vídeos feitos por brasileiros neste sentido:
- O governo brasileiro acaba de gastar 400milhões de Euros com compras de armas para a polícia e disse estar disposto a colocar o exército na rua para proteger a Copa contra os…. Brasileiros (???) Isso mesmo, o governo está ameaçando seu próprio povo.
- Há um movimento de alguns jogadores de futebol, liderado pelo ídolo do Lyon (França) Juninho Pernambucano, chamado “Bom Senso”, pedindo conscientização dos jogadores.
- Analisando os países sedes desde 1970, o número de mortes em estádios, nos 16 anos prévios a cada edição da Copa:
›México: (1970): 06 mortes;
›Alemanha (1974): 00 mortes;
›Argentina (1978): 04 mortes;
›Espanha (1982): 00 mortes;
›México (1986): 12 mortes;
›Itália (1990): 00 mortes;
›EUA (1994): 00 mortes;
›França (1998): 00 mortes;
›Japão (2002): 00 mortes;
›Coreia do Sul (2002): 00 mortes;
›Alemanha: (2006): 00 mortes;
›Africa do Sul: (2010): 17 mortes;
›Brasil: (2014): 234 mortes;





OBRAS:

- O Brasil foi o país que teve mais tempo na história de todos os mundiais para prepará-lo: 7 anos, mas o Brasil é o mais atrasado.
- O Francês Jérome Valcke, secretário geral da FIFA criticou o Brasil pelos atrasos. O governo brasileiro disse que não conversaria mais com Jérome Valcke.
- A França teve apenas 3 anos, e finalizou as obras 1 ano e 2 meses antes.
- A África do Sul teve 5 anos, e terminou com 5 meses de antecedência.
- Há pouco mais de 3 meses da Copa, o Brasil ainda tem que fazer 15% do previsto.
- O custo do “Stade de France” foi de 280 milhões de Euros(o mais caro da França), uma vergonha se comparado ao “Olimpiastadium” sede da final da Copa da Alemanha em 2006, que consumiu menos de 140 milhões de Euros.
- Mas perto do Brasil isso não é nada. Cada estádio custa em média mais de 1/2 bilhão de Euros.
- E o dinheiro sai do bolso do Brasileiro. Tudo é financiado com recursos públicos. Na França tudo foi financiado com recursos privados.
- Mas o custo não é alto porque os trabalhadores recebem muito. Os trabalhadores recebem salários de fome.
- As empreiteiras é que ganham muito e há muita corrupção para os políticos.
- Não há segurança para os trabalhadores, acidentes e mortes são comuns. Na França o número de mortes nas construções foi 0(zero)
- Mesmo com os milhões a mais, os Estádios são ruins.
- Em 2007 o Brasil construiu um estádio para o Panamericano do Rio e homenageou quem???? Um diretor da FIFA, um brasileiro, corrupto para variar: João Havelange! No Brasil corruptos recebem homenagens.
- O estádio era tão ruim que não durou nem 6 anos. Isso mesmo, 6 anos….
- Hoje o estádio está interditado e não recebe mais jogos. Detalhe: custou mais de 150 milhões de Euros(mais do que o Estádio do Olympic de Marseille), e hoje serve de ninho para pombos.
- Na França, os Estádios são multi-uso, servem para competições olímpicas, jogos de Rugby, e são centro de lazer, com lojas e restaurantes e estacionamento nos outros dias da semana. No Brasil são usados só para jogos.
- Em Brasília estão construindo um Estádio para 68.000 pessoas, sendo que o time local está na quarta divisão do campeonato brasileiro e tem média de público de 600 pagantes. Tudo com financiamento público.
- Em São Paulo há 2 estádios, Morumbi e Pacaembú, ao invés de reformá-los, construíram um 3o. estádio, Itaquerão, 23km do centro da cidade e sem metrô até lá.
- O ex-presidente Lula, torcedor do Corinthians, empenhou-se pessoalmente para que construíssem este estádio em vez de reformar um dos outros 2 já existentes.
- Exceto seus correligionários, ninguém acredita que Lula foi movido por amor ao “Timão” .
- Lula é amigo íntimo de Marcelo Bahia, Diretor da Odebrecht, vencedora da licitação. Um reforma custaria menos de 100 milhões de Euros, um novo estádio tinha previsão de custo inicial de 300 milhões de Euros (mas já passou de 500 milhões) um dos mais caros da história da humanidade. Lula e Marcelo são constantemente vistos em caríssimos restaurantes de Paris, tomando bons vinhos franceses. Lula, claro, se declara socialista.
- Este estádio é igualmente ruim, alagamento, péssima infraestrutura, e antes mesmo de inaugurar já caiu, matando funcionários. (
http://oglobo.globo.com/esportes/video-mostra-momento-do-acidente-no-itaquerao-10911765)

TRANSPORTES:

- A atual presidente Dilma Rousseff garantiu que faria um trem-bala, nos moldes do TGV Francês, que ligaria 4 cidades-sede: SP-RJ-BH-Brasilia. A promessa está gravada em redes sociais. (
http://www.estadao.com.br/noticias/esportes,governo-garante-trem-bala-pronto-ate-a-copa-de-2014,381839,0.htm)
- Em 2009 foram aprovados 13 bilhões de Euros no PAC, uma soma gigantesca de dinheiro, suficiente para construir um TGV de Paris a Cabul no Afeganistão. Nunca se viu um orçamento tão alto.
- Mas o dinheiro desapareceu e nem um único centímetro do TGV brasileiro foi construído.
- Nenhum brasileiro cobra da Dilma a responsabilidade sobre a promessa do trem bala.
- Nenhuma das cidades-sede tem metrô até o Aeroporto.
- O taxis são caríssimos e os taxistas fazem trajetos mais longos com os estrangeiros que não conhecem a cidade.
- Aprenda Português pois os Taxistas não falam nem espanhol, francês não existe. Inglês nem pensar???
- Para os taxistas não há cursos de inglês financiados pelo governo, mas para as prostitutas sim. Parece piada, mas é verdade: (
http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2013/01/1211528-prostitutas-de-bh-tem-aulas-gratis-de-ingles-para-se-preparar-para-a-copa.shtml)
- É assim que o Brasil está se preparando para receber os turistas, ensinando inglês para as prostitutas. Pergunte se há um programa assim para policiais???
- Metrôs não funcionam bem, não cobre nem 10% das cidades ou simplesmente não existem.
- Os ônibus são precários, com muitos atrasos.
- O sistema de ônibus é complicadíssimo e ineficiente.
- Diariamente os ônibus são atacados por gangues que lhes ateiam fogo sob ordem de criminosos ou simplesmente para protestar.
- Às vezes não dá tempo do passageiro sair correndo e morre carbonizado.
- Ninguém é preso, mas as autoridades dizem: “estamos investigando…”
- O aeroporto da Megalópolis São Paulo tem uma capacidade de receber vôos inferior ao Aeroporto da pequena cidade de Orly, no interior da França.
- Os preços de passagens de aviões dispararam. Por um trajeto de 400km chegam a cobrar 1.000Euros durante a copa.
- Como o Brasil não tem infraestrutura, não aproveitará a alta demanda, devendo permitir que empresas aéreas estrangeiras atuem durante a Copa, o lucro virá para a Europa ou os EUA.
- Aluguel de carros é caríssimo, e, como disse um ex-presidente brasileiro, Fernando Collor, também afastado por corrupção, os carros brasileiros são carroças, sem os principais itens de segurança.
- Muito cuidado ao dirigir, o trânsito é uma selvageria. Sinalização, quando existe, é exclusivamente em português.
- Ônibus lotados a toda velocidade, dividem faixas com carroças, mendigos que puxam carros de ferro-velho, motoqueiros cruzando faixas sem sinalizar, pessoas xingando, engarrafamentos de horas. Em São Paulo chega a passar de 300km de engarrafamento, dentro da cidade, o maior da humanidade.
- Faixa de pedestre não serve para nada, não espere que os carros parem. Atropelam, matam e fogem.
- Não tente andar de bicicleta, será atropelado ou roubado.
- As estradas estão caindo aos pedaços, sem sinalização e o número de mortes em acidentes de trânsito em 2008 foi de 57.166, na França, 399, ou seja, quase 15.000% a mais de mortes, e levando em conta que no Brasil não há acidentes por neve ou gelo na pista.
- Apesar do Brasil ser autossuficiente em petróleo e estar do lado de países da OPEP, como Venezuela e Equador, a gasolina uma das mais caras do mundo, e de péssima qualidade, misturada com etanol e solvente de borracha, não há fiscalização nos postos.
- Mas o Brasileiro defende o monopólio do petróleo. É o único país do mundo onde os consumidores acham que o monopólio é bom para o consumidor, e não para o monopolista.
- Não existe transporte fluvial, apesar de ser o país com mais rios no mundo. O Brasil deveria investir em barcos, todo ano as cidades alagam.
- As autoridades dizem que foram pegas de surpresa!
- Não há transporte por trens.

SAÚDE:

- Reze para não ter problemas de saúde enquanto estiver alí.
- Vacina contra febre amarela é recomendada.
- Use repelentes, no Brasil ainda há pessoas morrendo com dengue, malária ou doença de chagas, já erradicadas na França no século XVIII.
- Faça um seguro de saúde privado antes de ir ao Brasil.
- Médicos privados cobram mais de 100Eurs por consultas de 20minutos.
- Os hospitais públicos são péssimos, comparáveis a zonas de guerra.
- Nos últimos 10 anos o número de leitos em hospitais públicos caiu 15%. (
http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/em-11-anos-taxa-de-leitos-hospitalares-caiu-15-no-brasil-o-bravateiro-no-entanto-dava-licoes-a-obama-vinda-de-cubanos-serve-para-demonizar-medicos-brasileiros-e-e-projeto-ideologico-dos-paises-do/)
- O Brasil precisa importar médicos de Cuba, já que não tem competência para formar médicos no próprio país. Acredite: Há um programa governamental para isso.
- O Brasil gasta apenas 4% do seu PIB com saúde, e 12% com pagamentos de funcionários públicos. Nos últimos anos o gasto com funcionários cresceu, e com saúde encolheu.
- A França gasta 12% com saúde e 4% com funcionalismo.
- Resultado: Brasil é 72. entre 100 países pesquisados pela OMS, a França 7.
- O craque Zinédine Zidane já era mal visto no Brasil, por ser responsável direto por 2 derrotas humilhantes da “canarinha” em mundiais. Ao saber que o Brasil sediaria a Copa, Zidane afirmou que o Brasil tinha outras prioridades, como a saúde, não os Estádios.
- Ronaldinho Fenômeno rebateu a frase dizendo que “não se faz copa com hospitais”.
- A frase de Ronaldinho Fenômeno virou hit no Twitter e record e visualizações no youtube.
- O Pelé pediu para os Brasileiros esquecerem os problemas e curtirem a Copa.

HOSPEDAGEM:

- Paris é a cidade mais visitada do mundo, com quase 20 milhões de turistas / ano. São Paulo é menos visitada que a pequena Benidorm na Espanha, ou que a cinza Varsóvia, na Polônia ou a poluída Chenzen na China.
- São Paulo perde para Buenos Aires, Cuzco e outras cidades Sulamericanas.
- Nem no Brasil é a mais visitada. Ninguém faz turismo em São Paulo.
- Amarga o posto 68 na lista das mais visitadas do mundo.
- No entanto, um hotel em São Paulo custa em média 40% mais do que se hospedar em um equivalente hotel em Paris.
- Na época da Copa, um hotel de baixa qualidade em São Paulo chega a pedir 800Euros por noite.
- Os brasileiros não tem hábito de intercambiar casas, alugar sofás ou hospedar pessoas por sites em internet.
- Leve adaptador de tomada. O Brasil adotou um sistema que só existe no Brasil, e muda a cada 4 ou 5 anos, gerando milhões para algumas empresas.

TELECOMUNICAÇÕES:

- Minuto de celular mais caro do mundo. (
http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2013/10/1352956-minuto-do-celular-no-brasil-e-o-mais-caro-do-mundo.shtml)
- O sinal é péssimo, um dos piores do mundo.
- 4G não existe na maioria das cidades.
- A internet é horrível e caríssima. Para o Brasil chegar aos níveis do Iraque deveria dobrar o investimento em banda larga. (
http://veja.abril.com.br/noticia/vida-digital/conexao-de-internet-no-brasil-e-mais-lenta-que-no-iraque-e-cazaquistao)

SEGURANÇA:

- Se você não gostou do que leu até agora, o pior está aqui.
- No Brasil há mais assassinatos que na Palestina, no Afeganistão, Síria e no Iraque JUNTOS.
- No Brasil há mais assassinatos que em toda a AMÉRICA DO NORTE + EUROPA + JAPÃO + OCEANIA.
- A guerra do Vietnã matou 50.000 pessoas em 7 anos. No Brasil se mata a mesma quantidade em um ano.
- Ano passado foram 50.177 segundo o governo, segundo a ONGs superam 63.000 mortes.
- Todo brasileiro conhece alguém que foi assassinado.
- 1% dos casos resultam em prisão.
- Este 1% não chega a cumprir 1/6 da pena, e é beneficiado por vantagens que se dão aos criminosos.
- As prisões parecem masmorras e não recuperam.
- Rebeliões com dezenas de mortos, pessoas decapitadas, esquartejadas são frequentes.
- Recomenda-se levar uma pequenas quantidade de dinheiro para caso de assaltos. É comum assassinarem as pessoas que nada tem para o assalto.
- Não leve o cartão consigo, você pode ser vítima de uma espécie de sequestro que só tem no Brasil: “Sequestro Relâmpago”.
- Não use relógios, máquinas fotográficas, celulares, pulseiras, brincos, colares, anéis, bolsas caras, bonés caros, óculos caros, tênis caro, etc… vista-se da forma mais simples possível.
- Se for assaltado, não reaja.
- Não ande pelas ruas após as 22hs.
- Caixas eletrônicos não funcionam após as 22h30, devido aos assaltos. Os políticos, no lugar de aumentar a segurança, tiveram a brilhante idéia de proibir o cidadão de bem de tirar dinheiro do caixa.
- Os bancos fecham as 15hs.
- Só faça câmbio em bancos ou casas autorizadas. Existe uma grande quantidade de moeda falsa e estrangeiros são alvo fácil.
- Policiais são monoglotas. Aprenda frases como: “Eu fui assaltado”; “preciso de ajuda”, “estou ferido”, “sou francês, leve-me ao consulado por favor”
- Há falsas blitz para assaltar pessoas.

CONCLUSÃO:
- O que falta no Brasil é educação. Os números são assustadores, mesmo quando comparados com seus vizinhos sulamericanos.
- O Brasil tem uma porcentagem de universitários menor que o Paraguai;
- Apenas 3% dos Brasileiros são bilingues.
- A Argentina tem 5 prêmios Nobel, a Colombia 3, o Chile 3, a Venezuela 1, a Colombia 4, o Brasil??? Zero!
- Entre as 300 melhores Universidades do mundo, não tem nenhuma Universidade Brasileira.
- O país tem 9% de analfabetos;
- No Brasil há 33.000.000 de analfabetos funcionais.
- Ano passado surgiram 300.000 novos analfabetos.
- No ranking da ONU de 2012 o Brasil, que já estava mal colocado, caiu mais 3 posições, e hoje é o número 88 no mundo. (A França é 5.)
- O Brasil fica atrás de Belize, Ilhas Fiji, Tchad, Azerbaijão, Ilhas Maurícios, Uzbequistão, Mongólia, Paraguai, Trinidad e Tobago, Belarus, Tijiquistão, Botswana, São Tomé e Príncipe, Namíbia, Santa Lúcia, Moldavia…. até atrás da Palestina em guerra, o Brasil conseguiu ficar.
- UMA VERGONHA INTERNACIONAL mas o brasileiro está muito feliz de ser pentacampeão de futebol.

Nos corredores da FIFA já se admite que foi o maior erro da história da Instituição eleger o Brasil como sede. O que se fala é que os dirigentes deveriam ter ouvido o grande Estadista Francês Charles de Gaulle, quando disse:

“O Brasil não é um país sério”


quarta-feira, 12 de março de 2014

INVASÃO, CRISES E RUPTURAS




EUA desrespeitar as nações soberanas é algo comum. Monstruosamente comum. Ter alguém que lhes faça frente, segurando um espelho a mostrar suas ações nefastas bom, até pouco tempo não havia. Mas nos últimos anos as coisas mudaram em âmbito geopolítico.



Obama e seu antecessor, George Bush, se acostumaram a tomar boa parte do planeta como seu quintal particular. A invasão do Iraque foi a principal prova disso. Além de invadir, Bush saqueou o país, rico em petróleo. A comunidade internacional, amedrontada após o 11 de setembro e temendo as consequências de uma possível recusa de ajuda ao Tio Sam, apoiou. Não houve objeções.
Os drones, naves não-tripuladas capazes de matar um alvo a uma distância segura, assassinaram milhares de pessoas no Iraque, Afeganistão, Paquistão, Iêmen e Somália. De novo, silêncio sepulcral da ONU e dos países do Ocidente.

Aconteceu com a Líbia, em 2011, o mesmo que ocorreu no Iraque, em 2003: uma 'bandeira falsa', uma mentira pra justificar uma invasão. Cria-se um factóide, espera a mídia corrupta fazer seu trabalho de porta-voz do governo, divulgando a propaganda com uma razão plausível (ao invés de questioná-la), a plebe engole a mentira com a desculpa de guerra ao terror e os "heróis" são conclamados para o combate, protegendo e servindo à nação. Kadhafi, assim como Saddam, ex aliados dos EUA, serviram seus propósitos e foram sacrificados quando não eram mais necessários à causa. E mais uma vez, ninguém questionou as ações beligerantes dos americanos.

As coisas começaram a se alterar no ano passado, quando a China resolveu mudar sua postura na Ásia, talvez devido às constantes provocações das forças armadas americanas, com preocupante presença na vizinhança chinesa. Washington tem dois protegidos na região: Coréia do Sul e o Japão, o mesmo país que fora alvejado com bombas atômicas pelos EUA em 1945. O governo chinês aumentou a tensão entre as potências após a criação de uma controvertida zona de defesa aérea no mar da China Oriental. Pequim decidiu mudar a "direção" de uma zona de defesa de identificação aérea (ADIZ) que inclui as ilhas Senkaku (Diaoyu em chinês), administradas por Tóquio e reivindicadas pela China. A tensão permanece.

O governo chinês chegou a divulgar um relatório sobre o constante desrespeito dos EUA na área de direitos humanos, numa retaliação à Obama por constantemente criticar a China nesse assunto. Veja AQUI. 


O EFEITO SÍRIA

Em 2008, a crise que acometeu a Geórgia com sua crescente aproximação com a União Europeia e com os Estados Unidos foi o estopim para uma crise com a Rússia. O fornecimento de petróleo para a Europa ficou comprometido e a Ossétia do Sul com os principais dutos das petrolíferas, sob constante vigilância do governo russo. O presidente americano se viu em uma sinuca de bico. Como era o Velho Urso, acabou mais na retórica, do que nas sanções. Veja AQUI.

Mas daí veio a Síria. Com uma vasta fonte de gás natural e uma nação que não aceita ingerência americana, era o alvo a ser batido. Mas tinha, uma vez mais, uma Rússia no caminho. Desta vez ainda mais forte e com seu papel de potência mundial estabelecido no cenário geopolítico.



Aliado de longa data de Moscou, o regime de Bashar Al-Assad se mostrou um adversário maior do que Washington esperava. Além da proteção de Vladimir Putin, presidente russo, havia o Hezbollah, o Irã e a própria China que, se não apoiou militarmente, se manifestou a favor de Assad, que não é um santo, mas se está ruim com ele, imagina nas mãos dos amiguinhos da Otan?

Parte de um sonho antigo dos EUA, a divisão da ex União Soviética partiria pela Ucrânia. Seguindo a filosofia de Napoleão (dividir e conquistar), os fantoches da Nova Ordem Mundial (Obama, John Kerry e Hillary “Hitler” Clinton) apressaram-se a dizer que “os ucranianos clamavam por mudanças e, por isso, contam com nosso apoio”; e por apoio entenda-se ajudar grupos neonazistas e de extrema direita a derrubar o presidente eleito democraticamente. Alardeou-se que era uma revolução. Não é. Revolução é uma formação social. Mas em Kiev, o que se viu até agora transmite a mensagem em contrário: não houve alteração social alguma. Houve um golpe de estado e contou com o apoio do Ocidente. E as coisas estavam, aparentemente, indo bem (se é que dar suporte a nazistas seja '‘ir bem’'), mas havia, novamente, uma Rússia pelo caminho.



Crimeia e Kosovo – quais são as diferenças?


Putin, que vinha tentando resolver tudo de maneira mais objetiva (leia-se, dar dinheiro), viu suas fronteiras serem perigosamente ameaçadas pelos Estados Unidos. Sabe do apetite de Barack Obama e sua corja de carniceiros. Resolveu recorrer a uma velha rotina americana: invadir primeiro, perguntar depois.

Bombardeado pela mídia corrupta do Ocidente, Vladimir Putin foi estampado como causador da crise da Ucrânia e como um déspota sanguinário, por invadir a Criméia. A mesma imprensa safada que ignora o que Obama faz: suas barbáries, seus desmandos, as torturas em Guantánamo, as atrocidades travestidas de “combate ao terror”, a perseguição ao muçulmanos... Dois pesos e duas medidas. Típico de má-fé, não de mera incompetência.


Parlamento da Crimeia aprovou unanimemente decisão de aderir à Rússia


Mas tanto os EUA, quanto seus capachos europeus sabem dos altos custos de uma crise com Moscou. Primeiro porque é a Rússia; segundo pela dependência do gás dos russos.

As bolsas tendem a cair, o preço do petróleo dispara, os grãos produzidos na Ucrânia ficam com os preços na estratosfera e prejudica o cenário global, em especial a ainda combalida da UE. Putin sabe que seu país pode sentir fortemente os efeitos da crise, mas que seus antagonistas sairiam mais prejudicados se apostarem alto. A Alemanha em especial. 


A hipocrisia de Obama ao condenar a Rússia por violar o “direito internacional” na Crimeia


Cancelaram o encontro do G8 que seria em Socchi? Putin não liga. Ameaçam com sanções? A Rússia poderia bloquear os ativos dos seus ex parceiros. A Otan quer ampliar sua base para a ex República Soviética? Moscou sabe que encontraria anuência de Cuba e Venezuela para fazer o mesmo na América Latina.

A política externa de Obama tem cometido sérios erros. Sua pitbul enraivecida (e ressentida), Hillary Clinton, esbraveja contra Putin, o comparando com Hitler, sendo que as ações americanas, desde o fim da Segunda Guerra foram mais próximas do nazismo, do que qualquer outro país.

As bravatas dos Estados Unidos sempre encontraram solo fértil entre líderes fracos e submissos, como os da França, Inglaterra e Alemanha. Mesmo depois de ser desmascarado com seu plano de espionagem internacional contra seus próprios aliados, a submissão ao establishment americano permanece.



Putin vem fazer um contraponto ao totalitarismo secular dos EUA. E é odiado por isso. A imprensa, em especial a brasileira, está acostumada a repercutir como uma câmara de eco o que é dito na mídia americana, sem ao menos contestar, questionar, papel fundamental do bom jornalismo. As redações tupiniquins se transformaram em sucursais da FoxNews. Os telejornais, as revistas semanais e os jornalões mantém um discurso perigoso e vergonhoso de apoio incontestável a Obama e sua política internacional predatória.

Mas mesmo contra tudo isso, a Rússia permanece firme. Nada a estranhar, para uma nação que praticamente sozinha derrotou o exército de Hitler, quando seus soldados, estupidamente, partiram contra a União Soviética. Se derrotou o Fuher, derrotar um Obama e seus paspalhos da União Europeia não deve ser assim tão difícil.




domingo, 9 de março de 2014

A IMAGEM DA MULHER BRASILEIRA




País tropical, terra do futebol e do carnaval, das praias e das mulheres bonitas….Isso interessa muito ao estrangeiro que vem ao nosso país. Especialmente as mulheres.

Elas são encaradas como produtos (inclusive dentro do próprio Brasil); muitas até gostam e incentivam Geralmente são as modelo/atrizes. As mesmas que nunca desfilaram e/ou atuaram, mas sua constante exposição na mídia, exibindo trajes sumários (assim como seus neurônios) reforça a ideia de mulher-objeto. E sem nem por estas bandas certas mulheres se dão ao respeito, não será no Velho Mundo, acostumado a colonizar tudo o que lhe for de seu interesse, que as coisas seriam diferentes.

Talvez por isso, que ainda ocorra tráfico de mulheres brasileiras para a Europa.

No Estadão: O número foi coletado a partir da cooperação entre as polícias dos 28 estados do bloco e revelam que as brasileiras representam cerca de 15% de todas as vítimas estrangeiras de tráfico de seres humanos no bloco. VEJA AQUI.

Ainda que timidamente, a polícia federal junto com a Interpol tem conseguido desbaratar algumas destas quadrilhas. Mas o desrespeito é evidente. Assim como a ingenuidade de algumas garotas que acreditam numa conversa mole de '‘vida melhor fora do país’'. Sem seus passaportes, vivendo um regime de escravidão, o arrependimento bate, mas vem tarde.

Do Portal R7: “A presidente Dilma Rousseff garante que o Brasil está pronto para combater o turismo sexual durante a Copa do Mundo deste ano. Em mensagens publicadas em seu perfil no Twitter, a presidente disse que “o Brasil está feliz em receber turistas que chegarão p/ Copa, mas também está pronto p/ combater o turismo sexual.” VEJA AQUI.

Turismo sexual é uma chaga que acomete o Brasil há décadas. Fomentado pela imagem distorcida da brasileira no exterior, mas corroborada por alguns poucos que insistem em patrocinar esse tipo de exploração.

Criou-se a ideia em vários países, em especial da Europa, que por aqui tudo é fácil. Há pouco tempo, o jornalista Roberto Cabrini mostrou um pouco desse submundo, onde em muitas cidades do Norte/Nordeste meninas entre 13 e 16 já estão sendo assediadas por gringos que apenas e tão somente visitam essas praças pelo “sexo fácil” que esperam encontrar. Em muitos casos, infelizmente, acabam se dando bem. Muitas vezes com a anuência da própria família, que acaba cafetinando a adolescente.


Justiça condena quadrilha por aliciar atrizes, apresentadoras, bailarinas de TV e ex-participantes de reality shows para prostituição.



Quando governadora do Rio de Janeiro, Rosinha Garotinho sancionou o projeto de lei que proibia a venda de cartões-postais com mulheres brasileiras seminuas nas fotos, para não reforçar o estereótipo, acreditem, houve pessoas, mulheres inclusive, que desaprovaram a iniciativa. Típico de gente com a mente tacanha. VEJA AQUI.

A mais nova polêmica envolve as camisas fabricadas pela Adidas, com teor sexista. Gerou muito barulho nas redes sociais, inclusive o governo reclamou publicamente. Resultado: a empresa alemã se retratou e prometeu tirá-las do mercado. Mas ainda assim, a produção de roupas com imagens de duplo sentido é o ranço do machismo crônico que acomete o Velho Mundo.







A conotação sexual, implícita ou não, é sinal de que muitos ainda enxergam o Brasil com os mesmos atavismos do século 20.



Fruto da insegurança e da visão estereotipada masculina a respeito do sexo oposto e com sua dificuldade em compreender a complexidade feminina; mas também despreparo de algumas mulheres que esqueceram os preceitos do feminismo, que as colocavam em pé de igualdade com o homem na sociedade. No afã de vencer na vida do modo mais fácil, muitas atrizes/modelos, que não atuam nem desfilam, apenas enganam e mostram o pouco que tem pra sobreviver em uma sociedade tão competitiva. E desse pouco elas tentam extrair o máximo que podem para permanecer em evidência. Seja em programas de baixo calão, seja durante eventos dos mais variados, em especial o carnaval, onde seus parcos talentos podem, enfim ser admirados.


Mas pode também ser uma faca de dois gumes. Pode passar a impressão para os mais desavisados que outras mulheres também seguem a cartilha da sensualização barata e do bom e velho '‘teste do sofá' pra se conseguir um lugar ao sol. O tema não é novo; remete aos agitados anos 80, mas que ainda hoje é mencionado aqui e acolá. Algumas destas “profissionais” que tentaram desesperadamente se estabelecer na mídia, quando percebem o retumbante fracasso se jogam em um mundo duvidoso e de aparente baixa reputação.


Nada disso justifica a visão limitada que muitos homens – brasileiros ou não – nutrem pelas mulheres de um modo geral. O país elegeu uma mulher para o cargo mais importante e, isso em si deveria servir para que algumas pessoas perdessem a visão medieval que tem do sexo oposto --e não sexo "frágil". Ajudaria também para com cantadas cafajestes, assobios e qualquer tipo de ação que tenha objetivo de tratar a mulher como ALGO. 


Em um mundo machista, seria de bom tom que as enxergassem de maneira respeitosa. Lógico que é um processo lento. O homem, via de regra é lerdo pra certos assuntos. Mas até lá, a nossa mídia também poderia fazer sua parte e parar de enaltecer o estilo modelo/piriguete, vendendo uma imagem distorcida para o mundo. Apenas para que não se tenha a impressão em outros países que estamos em uma sociedade onde tudo é muito fácil, inclusive as mulheres.




quarta-feira, 5 de março de 2014

COMO COLOCAR A REVISTA VEJA EM SEU DEVIDO LUGAR




“Veja” isso, um verdadeiro tapa na cara do pessoal da Veja:
A socióloga Sílvia Viana é doutora pela USP e autora do livro “Rituais de sofrimento”. Procurada pela Veja para conceder uma entrevista sobre o BBB 14, ela negou o pedido. Mas não foi um simples não, foi uma aula, curta e rápida, do que é a “coisa feita em papel couché”.

Leia abaixo sua resposta à solicitação de Veja enviada por e-mail ao jornalista encarregado da tarefa de convidá-la.




Respondo seu e-mail pelo respeito que tenho por sua profissão, bem como pela compreensão das condições precárias às quais o trabalho do jornalista está submetido. Contudo, considero a ‘Veja’ uma revista muito mais que tendenciosa, considero-a torpe. Trata-se de uma publicação que estimula o reacionarismo ressentido, paranoico e feroz que temos visto se alastrar pela sociedade; uma revista que aplaude o estado de exceção permanente, cada vez mais escancarado em nossa “democracia”; uma revista que mente, distorce, inverte, omite, acusa, julga, condena e pune quem não compartilha de suas infâmias – e faz tudo isso descaradamente; por fim, uma revista que desestimula o próprio pensamento ao ignorar a argumentação, baseando suas suposições delirantes em meras ofensas.

Sendo assim, qualquer forma de participação nessa publicação significa a eliminação do debate (nesse caso, nem se poderia falar em empobrecimento do debate, pois na ‘Veja’ a linguagem nasce morta) – e isso ainda que a revista respeitasse a integridade das palavras de seus entrevistados e opositores, coisa que não faz, exceto quando tais palavras já tem a forma do vírus.

Dito isso, minha resposta é: Preferiria não.

Atenciosamente, Sílvia Viana