Follow by Email

terça-feira, 27 de maio de 2014

O CIDADÃO EDSON ARANTES DO NASCIMENTO




Atleta do século, maior jogador de futebol de todos os tempos, tricampeão pela seleção canarinho, autor de mais de 1200 gols na carreira. Este é Pelé, uma marca fantasia.

Mas o cidadão Edson Arantes do Nascimento nunca foi capaz de ser, fora das 4 linhas, o que ele representava dentro de campo.

Há inúmeros percalços em sua vida turbulenta. 

A parceria com o (ex) amigo Hélio Vianna gerou suspeitas de transações ilícitas e contas nas Ilhas Virgens. Edson também se aproximou, perigosamente, do outrora desafeto Ricardo Teixeira, então presidente da CBF. Ambos viveram às turras por um curto período de tempo; pra ser mais preciso, até 1995, quando o Santos foi fragorosamente roubado dentro de campo, frente ao Botafogo do poderoso Carlos Augusto Montenegro, homem forte do Ibope. A partir daí, Arantes mudou seu discurso e se aproximou de Teixeira.



Sandra Regina Machado Arantes do Nascimento Felinto foi a filha que Edson esnobou, humilhou, vilipendiou e execrou em praça pública. Em 1991 foi requisitado o processo de reconhecimento de paternidade. Em 96 se tornou público (tudo o que Arantes não queria) e mostrou uma faceta até então desconhecida do “rei do futebol”: o desvio de caráter. Sandra queria que sua filiação fosse reconhecida. Edson não quis. Recorreu 13 vezes, até chegar no Supremo. Com a derrota, ele se viu obrigado a aceitar o fato que teria uma filha. 

Ela morreu de câncer; Arantes não compareceu ao funeral (óbvio) e mandou flores chinfrim em nome da sua empresa. Foram todas devolvidas. Finalmente, caia a máscara do ídolo de milhões de brasileiros.

Nascimento sempre foi apolítico. Nunca se pronunciou sobre temas polêmicos, talvez para não se expor em demasia. Mas deixou transparecer sua total alienação de temas importantes quando veio a público dizer que não jogou a Copa do Mundo de 1974, em protesto contra o Regime Militar, instaurado no país. 



Ele havia parado de jogar por estar abaixo de seu rendimento e se recusou a '‘servir’' a seleção pois sabia que o insucesso seria inevitável e seria cobrado quase que exclusivamente, pelo fracasso. Literalmente, ele “amarelou”. Como alguém que nunca disse coisa alguma sobre política, faria um protesto desse porte? Não tinha personalidade, nem clareza de ideias para tanto.

Não parou por aí.



Na revista ISTOÉ: “Rei do Futebol se envolve em escândalo imobiliário no país africano ao se declarar sócio de empresários brasileiros que venderam, e não entregaram, casas em condomínios de luxo na capital Luanda.


Pelé e os negócios suspeitos de Angola



Na única vez em que o futebol nacional poderia ser passado a limpo com a CPI da CBF/Nike no Congresso, o maior nome do futebol se posicionou (pasmem!) contra. Queria que terminasse o mais rápido possível.



Na Folha: “O fim da CPI impossibilitaria a investigação da principal empresa do ex-ministro de FHC, a Pelé Sports & Marketing, que teve seus sigilos bancário e fiscal quebrados, e de sua suposta participação em uma empresa de mesmo nome nas Ilhas Virgens Britânicas, um paraíso fiscal.


Pelé pede fim de CPI


Edson sempre esteve do lado errado da história. Sempre procurou cacifar em cima do futebol. 



Segundo um antigo colega de seleção, Paulo César Caju, Arantes nunca se importou com a problemática do racismo no país. Poderia fazer muito, mas se omitiu, segundo o ex atleta.


Paulo C. Caju diz que Pelé também tem culpa por racismo no futebol



Foi o maior incentivador da realização da Copa no Brasil. É o embaixador do evento e, como não podia deixar de ser, lucra com o mundial. Assim como os outros ex jogadores Ronaldo e Bebeto.



Repudiou, veementemente, os protestos contra a Copa, chegando a fazer apelo público para que cessassem as manifestações. Disse: "que o Brasil faça um turismo muito grande e recompense o dinheiro que foi roubado nos estádios. "


Pelé pede que brasileiros esqueçam dinheiro gasto com estádios para Copa 2014







Nascimento pouco se importa com as vidas dos trabalhadores vitimados nas construções dos estádios e arenas Brasil afora. Ele se compadece com aeroportos cheios. Para ele isso é mais importante.




Pelé alerta para caos em aeroportos e vê morte no Itaquerão como 'normal'



Com tudo isso denegrindo a imagem de Edson Arantes do Nascimento, a figura mítica, lendária de Pelé continua quase intacta no imaginário do torcedor brasileiro, com sua costumeira necessidade de autoafirmação. 



Para o cidadão comum, é motivo de orgulho ter o maior atleta do século, o maior jogador de futebol da história, o rei do futebol sendo brasileiro. Isso é algo que encanta as mentes tacanhas. Mas para quem conhece os meandros do futebol e suas mazelas extracampo, Pelé é idêntico ao cidadão Edson: uma sonora decepção.






quinta-feira, 22 de maio de 2014

O Destino de todo artista decadente é se tornar Evangélico




O começo de carreira geralmente é igual. Rostinhos bonitos, romances com famosos, intimidade exposta em demasia, ensaio sensual para revistas e depois de inúmeras tentativas de sucesso –muitos não se conformam com apenas 15 minutos de fama – a reviravolta da vida é inevitável.


                     (Perlla, ex cantora funk)  

Passado um tempo, a mídia já não os quer. Suas polêmicas já não vendem e nem sua aparência parece ser palatável ao sistema. Vivem do que plantaram e tentam colher, mesmo quando não tem de onde tirar novidades. Nesse caso, simplesmente provocam algo para chamar a atenção.


                     (Bruna Tavares, ex BBB)

As vezes dá certo, mas o ridículo a que são expostos chega a raias do absurdo. Bom, alguns não se importam.


                     (Carla Perez, ex cantora e apresentadora)

Sem mais opções na TV (programas, novelas, entrevistas ou mesmo como participação em festinhas) o jeito é improvisar. E o destino não é dos mais nobres. 


                     (Joana Prado, ex Feiticeira)

Muitos chegaram ao mundo erótico, posando para revistas de nu explícito, outros protagonizando filmes pornôs, que os levou à fortuna, mas ao mesmo tempo à humilhação pública. Os que chegam a esse limite são execrados do show business.


                     (Monique Evans, ex modelo e apresentadora)

A partir daí é um caminho sem volta. O risco que correram cobra um preço, e  o meio para se salvarem  chama-se RELIGIÃO.


             (Netinho, ex cantor de pagode e agressor da ex mulher)

Estas celebridades, muitos artistas genuínos, outros apenas arremedos, tem um discurso em comum: haviam chegado ao fundo do poço em suas vidas e a fé os “salvou”. 


                     (Regininha Poltergeist, ex modelo e atriz pornô)

Mas os excessos e as derrapadas em suas carreiras eram em virtude de suas próprias escolhas equivocadas. Os vícios, o sexo promíscuo, a vida desregrada eram consequência de um caminho tomado voluntariamente por eles.


                     (Mara Maravilha, ex apresentadora infantil e cantora)

Em um minuto tinham o mundo a seus pés; em outro, vivenciavam um inferno astral.


                     (Baby do Brasil, ex cantora)

São todos EX. Ex cantores (as), atores, atrizes, “modelo/atriz”, apresentador (a), BBB, pseudocelebridades... A lista é extensa.


                     (Valeria Valenssa, ex Globeleza)

Existem também celebridades que descambaram para o crime. O assassino de Daniela Pérez e Suzane von Richthofen, que matou os pais e virou pastora, por exemplo.


                     (Guilherme de Pádua, ex ator)



       (Suzane von Ritchthofen, ex rica mimada e assassina dos pais)


Muito longe de ser uma catarse em suas vidas, a “conversão” serve quase como um selo de qualidade aos olhos do público. Em um país majoritariamente cristão, um pecador arrependido se tornar evangélico é sinal de deus em suas vidas. Só que não.


                     (Rodolfo, ex vocalista da banda de rock Raimundos)

Querem mudar drasticamente a visão que o público nutre deles. Nem o melhor marqueteiro conseguiria tal proeza; o jeito é ser “de deus”. Quase sempre cola. É só contar quantos voltaram à mídia e conseguiram inclusive, vender livros e CDs com suas miraculosas metamorfoses.


                     (Viviane "Ronaldinha", ex  modelo e atriz pornô)

Longe de ser algo pejorativo, essa transformação que os levou a uma autocrítica, muitas vezes os salvou também de algo pior. Se fosse algo crível.

Muitas vezes, além do arrependimento de suas vidas embaraçosas, ainda há o fato de se posicionarem de maneira conservadora e até irracional sobre assuntos sérios. 


                     (Myrian Rios, ex atriz)

No que tange a sexo, a mudança é de 180º. O que antes servia e era "prato do dia", virou pecaminoso e digno de reprovação. Claro, já não tem tanta serventia como antes...

Passam a fazer suas pregações via imprensa condenando e julgando seus semelhantes de maneira vergonhosa.


                     (Cida Marques, ex atriz e modelo)

Para muitas “estrelas” de outrora, serve também como uma mea-culpa; algumas Marias Chuteiras e modelo/atriz se encaixam nesse perfil. Para outros, apenas o status é que vale.


                     (Rafael Ilha, ex cantor)

Enquanto houver os que os acolham, mais como uma jogada de marketing para suas respectivas igrejas, e houver quem acredite nessa mudança brusca de comportamento, tudo bem. 


                     (Sula MIranda, ex cantora sertaneja)

Mas entre o que estes famosos querem e a VERDADE há uma diferença abissal.



                               (Sarah Sheeva, ex cantora) 










quinta-feira, 15 de maio de 2014

O ETERNO MEDO DO PT FRENTE A GLOBO




No início dos anos 80, era comum ver integrantes do então recém-fundado Partido dos Trabalhadores criticando publicamente a Rede Globo.

Mas em 1989, durante as eleições presidenciais, o PT sentiu o poder de fogo dos Marinhos. Perderam a eleição, lamberam a ferida e tentaram se recompor para o pleito de 1994. Mas o estrago já estava feito. O partido começou a temer vivamente a emissora, então poderosa; o peso do látego nas costas de Lula foi sentido por toda a década vindoura.



Em 1994, a ordem era apoiar, ainda que de maneira mais discreta do que apoiaram Collor, o então candidato do PSDB Fernando Henrique Cardoso. Deu certo e repetiram a dose em 1998. De novo, era PT vs Globo. A '‘Vênus Platinada’' ganhara de novo.

Lula foi satanizado por Roberto Marinho de maneira escrota e sua “corrente de pensamento” contamina até hoje o discurso político, motivando comentários sujos e reportagens perversas, que fogem do cunho jornalístico. Veja, Estadão e Folha se incumbiram de ecoar o fascismo das redações das Organizações Globo de maneira desonesta. O partido pouco ou nada fez em contrapartida.


Em 2002, Luiz Inácio chega ao poder, contra a vontade de Marinho, mas sem a mesma rejeição de antes. Lula foi se moldando ao que o mercado queria, se comprometeu a manter boa parte da agenda tucana e pagou milhões para que um publicitário (o irascível Duda Mendonça, o que vendeu a imagem repaginada do Maluf e foi bem-sucedido) o ajudasse a realizar o sonho de se tornar presidente. Passou os 8 anos seguintes reclamando da '‘herança tucana’' mas, por via das dúvidas, deu continuidade a ela; com suas ressalvas e devidas melhoras, é claro.


Ao assumir o governo, o seu homem forte, José Dirceu, Ministro Chefe da Casa Civil, disse que a Globo era estratégica, ao ser indagado se mexeria em vespeiro. Foi chamado de "Golbery" do governo lulista. Quem conhece história sabe que isso significa coisa desagradável. 

Roberto Marinho, enfim nos deixava. O mundo se tornara um lugar bem melhor. Lula foi ao velório de Marinho, levou 7 ministros de Estado e decretou luto oficial por sete dias; muito mais do que o velho companheiro Leonel Brizola. O medo faz isso. A ingratidão também. A então prefeita paulistana, Marta Suplicy, mudou o nome da avenida Águas Espraiadas para “DR.” Jornalista Roberto Marinho. Esse doutor é tão estranho quanto sua cadeira na Academia Brasileira de Letras, cadeira que ele praticamente comprou. Não era respeito, nem deferência; era o puro medo. A vontade de fazer média, fumar o cachimbo da paz era gritante. Mas uma vez Marinho, sempre Marinho. Não importa a linhagem.

O que se via era um PT acovardado frente a uma emissora que já dava sinais de decadência. Por que não aproveitar? 



Diriam os politicamente corretos que não seria propositivo ir a forra contra o grupo de comunicações, já que o partido era governo, agora.

Não aproveitaram a chance, então….

Em 2006, as garras do P.I.G. (Partido da Imprensa Golpista) estavam novamente afiadas e saíram em defesa do insosso governador de São Paulo Geraldo Alckmin, a cria mais indigesta do falecido Mario Covas. Alckmin não tinha forças para encarar uma eleição majoritária daquela proporção; mas seus amigos da imprensa, os mesmos que evitam falar do esquema do trensalão e culpá-lo pela seca tenebrosa que assola a Grande São Paulo, deram uma forcinha naquela época e o colocaram no improvável segundo turno. Tinha dedo do Ali Kamel, todo poderoso do “jornalismo” da emissora carioca. Em 2010 fizeram de novo, e ainda assim, o Partido dos Trabalhadores se limitou a reclamar vagamente da cobertura tendenciosa da imprensa durante as eleições.


Ali Kamel processa o blogueiro que denunciou Globo


Esse imbróglio fez com que houvesse muitas baixas na redação da Globo (jornal, revista, telejornais), expondo um lado podre do grupo. Aliado a inúmeros processos trabalhistas movidos por ex jornalistas da casa e da vendagem e da audiência não serem mais as mesmas, o momento era oportuno para se fazer o que na Argentina começava-se a discutir: a Lei de Médios, que limitava o monopólio e tornava mais plural a mídia.


Por que o embate entre Carlos Dornelles e a Globo é de grande interesse público


Anos depois, Cristina Kirshner conseguiu o intento; por aqui, Dilma recebe no Planalto um dos herdeiros do ex império e se dignifica a reclamar da cobertura dos telejornais da casa sobre a Petrobras e a visão negativa que estão passando. 


Argentina 4 x 0 Brasil


Como uma adolescente mimada, a presidente passou um claro sinal de fraqueza ao se humilhar perante Irineu Marinho. Uma estadista, se receber, deve receber TODOS os integrantes da imprensa.

Sem nominar, poderia sim expor sua insatisfação sobre as notas nos jornais, mas poderia (e deveria) partir para o ataque: propor aqui o mesmo que na vizinha Argentina: debater e limitar os monopólios dos barões da imprensa.



Lógico que suscitaria ranger de dentes; evidente que ela sofreria um sistemático ataque por parte da mídia manipuladora. Mas não é o que ela vem sofrendo até agora? O que mudaria? Quando foi que seu governo teve um momento de tranquilidade para seguir em frente? Notícias boas eram ignoradas. As médias distorcidas e o que era ruim foi exagerado ao extremo.

Ao menos o cenário midiático passaria por uma salutar mudança, ainda que tardia.

Com seus principais nomes atrás das grades e afirmando categoricamente que o julgamento do mensalão foi uma farsa, em momento algum a cúpula do partido nominou seu descontentamento. A mídia ajudou na farsa? Por que não citar a Globo abertamente? Foi a emissora da famiglia Marinho quem mais se deleitou com o julgamento. Faltou coragem, principalmente a Lula (como sempre) para desafiar a ex toda poderosa. 

Os petistas, outrora combatentes de esquerda se dobraram ao sistema e se apequenaram frente a um grupo de comunicação que só trouxe atraso ao país, com seu apoio incondicional à ditadura militar.





Agora, às vésperas de mais um pleito, Dilma começa a sentir o jogo sujo. Ela se vê no olho do furacão, enquanto o P.I.G. blinda os tucanos, Aécio (o novo queridinho), Alckmin e sua fraqueza contumaz e FHC, em arroubos de saudosismo. Pesquisas, se não são manipuladas, são 'guiadas' de maneira a ludibriar os eleitores. Típico.

Das outras vezes, o amedrontado PT conseguiu se safar aos 45 do segundo tempo e levar a eleição. 

Mas com uma imprensa raivosa e ressentida como a brasileira, sempre é bom tomar cuidado. Nunca se sabe quando um espirro de hoje, pode virar uma pneumonia nas páginas os jornais de amanhã.



quarta-feira, 7 de maio de 2014

UMA CONVOCAÇÃO DIFERENTE PARA O BRASIL





Convocação da seleção Brasileira:



1- Escolas públicas de qualidade 

2 - Professores bem pagos 

3 - Hospitais bem equipados 

4 - Profissionais da saúde com bons salários 

5 - Trens 

6 - ônibus de qualidade e de graça 

7 - Metrô 

8 - Estradas e vias públicas estruturadas 

9 - profissionais de segurança pública bem preparados e bem pagos 

10 - Uma justiça JUSTA para todos 

11 - Cadeia para políticos corruptos e para corruptores

Técnico: O Povo

Está ai a seleção! 






terça-feira, 6 de maio de 2014

HOW ISRAEL TREATS PALESTINIAN CHILDREN




Like nazy regim back in 1940's,  Israel used to torture, harm and kill palestinian children. The UN? Says nothing. The american government? Sees nothing. The EU? Well, peolpe back there don't care about Palestine. 

Benjamin "Hitler" Netanyahu does whatever he wants violating all the Human Rights. The excuse is protect Israel. Against what? Israeli soldiers invade, throw out and arrest the legitimate owners from their houses. Is that fair? Why internacional community see no evil, hear no evil in matters like this? 

Well, Adolf Hitler didn't died. He lives and well, back there in Tel Aviv.















































































Read also: