Follow by Email

domingo, 23 de dezembro de 2012

A Falácia das Cotas nas Universidades





AS COTAS – A princípio idealizadas para corrigir distorções do passado, elas foram legitimadas pelo STF, num claro erro jurídico. Atropelando o artigo 5º da Constituição Federal (todos são iguais perante a lei), os ‘nobres’ integrantes do Supremo preferiram seguir o politicamente correto, ao invés de seguirem com propriedade as normas jurídicas.


O caso ganhou mais notoriedade quando um vídeo  polêmico, com teor hostil, foi veiculado no Youtube. Criado por integrantes da Rede Nacional de Juventude Negra fez mais estragos do que se podia imaginar. Assista AQUI

No mesmo vídeo,dentre os comentários,a maioria lúcidos (outros , de baixo calão), um que chamou a atenção foi : “Em 2000 anos de história, os europeus desbravavam o mar aberto e os continentes. Descobriam e estudavam fenômenos. Inventavam as ciências, a matemática, a filosofia. E o negro africano? Ficou lá na África, com sua “cultura” tribal e questionável. Não avançando em nada. No máximo em algum estilo musical ou outra coisa relacionada. Nada relevante, no entanto”. Tem lógica.  

Matéria da Veja LEIA AQUI

Em outros vídeos, no mesmo Youtube, vemos as argumentações racionais, sem se deixar levar por populismos. Confira  AQUI   E AQUI.


As “ações afirmativas” desse porte dividem o país em facções, ao invés de unir. Talvez se houvesse APENAS cotas sociais, independente de cor, as coisas poderiam ter uma maior aceitação. Não é esse tipo de pragmatismo que irá reparar o holocausto sofrido pelos escravos, no Brasil. Até porque, tráfico de escravos era feito, inclusive, por africanos (negros) que faziam disso um meio de vida.


Lembrando que o ícone da luta contra a escravidão, Zumbi dos Palmares, também tinha escravos particulares. LINK AQUI

Leia também :

FATOS E FACTÓIDES

MEMENTO MORI





Nenhum comentário:

Postar um comentário