Follow by Email

sábado, 22 de dezembro de 2012

Boas festas, o cacête!






Se há uma época do ano em que as pessoas se transfiguram por completo, é no Natal.
Data festiva que há muito perdeu sua razão de ser (nem todos se deixaram levar pelo consumismo exacerbado), o dia 25 foi se descaracterizando gradativamente, devido à mente tacanha de algumas pessoas cujo propósito é a antítese do clima do feriado.


Nas estradas - aglomeração, trânsito monumental, engarrafamento tanto sentido interior, quanto sentido litoral, IMPACIÊNCIA, IRRITAÇÃO, DESRESPEITO, INTOLERÂNCIA E FALTA DE HARMONIA (o oposto do que simboliza a data).




 Nas lojas – aglomeração, ‘empurra-empurra’, desespero por adquirir presentes, a qualquer custo, IMPACIÊNCIA, IRRITAÇÃO, DESRESPEITO, INTOLERÂNCIA E FALTA DE HARMONIA (o oposto do que simboliza a data).




Vaidade - Pessoas lotando salões de beleza, numa histeria coletiva de querer aparentar estar (ou ser) diferente nessa época do ano.


Nos mercados da vida – filas, estacionamentos entupidos de carros, motoristas querendo uma vaga de qualquer jeito, IMPACIÊNCIA, IRRITAÇÃO, DESRESPEITO, INTOLERÂNCIA E FALTA DE HARMONIA (o oposto do que simboliza a data).





AS “celebrações" são regadas à música de gosto duvidoso, em um volume ensurdecedor, prejudicando os vizinhos (nem todos comemoram, muitos trabalham nesta época, portanto tem que descansar) o que acarreta IMPACIÊNCIA, IRRITAÇÃO, DESRESPEITO, INTOLERÂNCIA E FALTA DE HARMONIA (o oposto da data).


As mortes e as tragédias nas estradas causadas devido ao consumo de álcool excessivo por parte de motoristas irresponsáveis.





O comportamento errático , a ausência de bom senso e eterna mania que alguns ainda tem de se importar com seu mundinho particular, fazem com que o Natal seja uma data cujo propósito tenha se perdido  para muitos(felizmente há exceções).






Poucos enxergam o dia 25 como uma data de recolhimento, de harmonia, de reconciliação, de confraternização e de reaproximação.  De pensar no próximo mais do que a si mesmo. De lembrar que muitos podem comemorar e celebrar com amigos e família,mas muitos estão ao relento ou absolutamente sozinhos. Quiçá, um dia, as pessoas voltem a olhar o Natal como realmente é. E não como uma festa onde o consumismo impera, substituindo a caridade e a fraternidade.




2 comentários:

  1. Concordo com você meu amigo, devemos trazer em nossos corações o simbolismo do natal, que é o renascimento do ser humano diariamente, não apenas em dezembro. O homem está egocêntrico demais e o natal ja perdeu o sentido fazer tempo... Um forte abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assino embaixo minha amiga.Um grande abraço pra vc.

      Excluir