Follow by Email

sábado, 30 de março de 2013

O Dia Mais Odioso da História do Brasil





  Para alguns ingênuos, o 31/03 é o dia da "Revolução" que conseguiu deter a ascensão do comunismo no Brasil(!!); mas para as pessoas realistas e racionais é a data mais tenebrosa de nossa história recente: O NEFASTO GOLPE DE ESTADO REALIZADO PELOS MILITARES.

  No nosso passado há registro de conflitos (a revolta da Chibata, a guerra de Canudos, a revolta da Boa Vista, a guerra dos Farrapos), mas esse momento específico instituía a legitimação da brutalidade; a vida perdia valor e o que era errado passava a ser válido.





  Paulatinamente, os direitos humanos eram suprimidos e, de Ato Institucional em Ato Institucional direitos civis, a Constituição, a liberdade de expressão, o direito ao voto, os poderes constituídos eram derrubados como pinos de boliche.

  Não se pode dizer que o GOLPE foi unilateral. Os traidores da nação já vinham planejando isso desde a eleição de Jânio Quadros, mas foi com a ajuda de imbecis alienados que os golpistas travestidos de verde-oliva acharam o "timming" perfeito. E foi quando uma parcela da sociedade se assustou com expressões usadas por João Goulart, como "reforma agrária", "diminuição da pobreza", "menos desigualdade social". Afinal, quem quer perder direitos, supostamente, adquiridos? Quem aceitaria dividir melhor "o pão"? A nossa SOCIEDADE DE CASTAS não aceitaria tal afronta.





  Esses fascistas da época incentivaram a formação do malfadado grupo "Movimento da Família com Deus pela Liberdade" que, aliados com a Igreja Católica e boa parte da imprensa, se uniram e disseram um sonoro "NÃO" às reformas propostas por Jango. Era melhor (para alguns, é claro) que não se mexesse com certas 'cláusulas pétreas '. Engraçado como algumas pessoas temem o que não conhecem e são facilmente manipuladas pelos velhacos que ditam as regras desde o Brasil imperial. No melhor estilo 'pirâmide', onde as camadas mais abastadas criam os mitos e vão passando para as parcelas inferiores (é assim que eles enxergam o resto do país até hoje), e com o tempo, se tornam verdades absolutas propaladas pelos marionetes.



   (Edson Luís foi a primeira vítima da Ditadura Militar nas mobilizações estudantis contra o regime em 1968)



  Esse inconformismo era a brecha que as Forças Armadas queriam. O plano do golpe já estava pronto havia muito tempo. Faltava o momento certo. E, pra alguns cafajestes afeitos a tiranias, não haveria momento melhor para cometer o maior atentado moral contra a nação.






  Nunca é demais ressaltar que a reação dos grupos de esquerda (VPR, MR-8, ALN, AP, VAL-PALMARES) foi intenso e radical, pegando os militares de surpresa. Ações como sequestros de embaixadores, roubo a bancos, atentados, guerrilhas no campo, a bomba explodida no aeroporto internacional dos Guararapes em 1966 mostravam que os milicos estavam despreparados para tal cenário, para esse grau de resistência.

  Mas para isso havia os fantoches do Esquadrão da Morte. No Rio, o Lecoq foi o grupo precursor das chacinas em série, chanceladas por seus distintivos e atitudes corruptas. Em São Paulo, Fleury e sua gang de assassinos se corrompiam e chafurdavam em sangue de pessoas que não aceitavam a implantação do fascismo no Brasil.




  Esse período chamado de "Anos de Chumbo" foi o mais sombrio do regime. No meio disso tudo, a população atônita.

  Fechamento do Congresso, cancelamento das  eleições, censura plena, torturas, os assassinatos nos quartéis, tudo isso mostrava que o regime recrudescia suas ações monstruosas, violentando a Constituição e cuspindo nos símbolos deste país.





  Aliás, torturas e assassinatos brutais pareciam ser a resposta para tudo. Ninguém era poupado. Homens, mulheres grávidas, jovens, idosos, padres, freiras, jornalistas...Todos engrossando a lista de vítimas do regime militar. Suas vidas eram um meio para um fim; ou seja, torturavam e matavam pra saber do paradeiro de integrantes dos grupos de esquerda, ou simplesmente para incutir o medo ainda maior na sociedade. É muito mais fácil dominar pelo medo do que pelo respeito. 




                      (fotos do livro Vala Clandestina de Perus – Desaparecidos políticos: um capítulo não encerrado da história brasileira)


  Como disse uma vez o escritor Ferreira Gullar havia duas esquerdas: a que pegou em armas e a que não o fez. Mas nenhuma das vertentes foi poupada. Bastava simpatizar com ideais de liberdade, de desejar uma democracia plena para ser abatido. Vladimir Herzog, Manuel Fiel Filho e Rubens Paiva são os exemplos de que a ditadura aplicava seu único recurso (a violência gratuita) contra tudo e contra todos.

  E ao vitimar a todos, sem distinção é que os militares começam a perder o domínio da situação. Na verdade, a ditadura militar era uma lata repleta de vermes, mas que só poderia ser aberta de dentro para fora. Os excessos foram o estopim para a mudança tão aguardada. Aqueles que a princípio davam apoio total aos militares (a Igreja, a imprensa e parte da sociedade elitizada) mudaram radicalmente de opinião ao verem seus pares sendo brutalizados nos porões do DOPS e do DOI-CODI. Sem o respaldo dos setores mais atrasados e conservadores da sociedade era o começo do fim. O governo havia se perdido em seus excessos. As falácias já não adiantavam mais. O tal 'milagre econômico' já não caracterizava algo palatável para a nação. Construir "Transamazônica" já não era suficiente para ludibriar a plebe.
  





2013...

  E quando achamos que certos acontecimentos nefastos não tem mais campo nem cabimento em uma sociedade evoluída, eis que os retrógrados cheirando a mofo que chafurdam no conservadorismo e primam por ter a mente tacanha remontam a um passado nojento e medieval. Primeiro com o renascimento do partido ARENA. Como se não bastasse a ação tresloucada e repulsiva, os doadores de cérebro resolvem patrocinar a volta da INTIFADA REACIONÁRIA: o novo Movimento da Família com Deus pela Liberdade, versão 2013. 





  Difícil entender porque algumas pessoas abdicaram do direito de pensar, de usar o raciocínio lógico, presos em um passado odioso, que deveria ser superado e não copiado. Onde a brutalidade e a barbárie não conhecia rosto e nem condição social. Onde o desmando corria solto. Onde policiais e militares agiam como bandidos sanguinários, fatiando o tráfico de drogas, a lavagem de dinheiro e o enriquecimento ilícito, às custas de vidas humanas; torturando, violentando, assassinando com a desculpa de nos livrar do "socialismo". Como se algum daqueles mentecaptos soubesse sequer soletrar a palavra.

  Esse movimento asqueroso de tentar ressuscitar algo tão reacionário talvez seja pelo desencanto com alguns políticos, ditos de esquerda, que visivelmente, decepcionaram a nação. Mas isso não é motivo para se jogar um país inteiro nas trevas novamente; e sim, obrigar as pessoas a se esforçarem mais e votar melhor nas eleições seguintes. Seria mais lógico e racional. Pena que os ultraconservadores da extrema direita preferem o caminho mais fácil: sentar em frente ao computador, xingando e reclamando como crianças mimadas esperando que o exército venha "salvar o dia", colocando ordem na casa. 






  Não é bem assim que caminha a humanidade. Construir uma sociedade digna exige atenção contínua, ser participativo, vigilância com os três poderes e consciência política. Mas muitos desses idiotas acham que entender de política significa entrar nas redes sociais e xingar deputados, senadores e ex-presidentes o dia inteiro. Isso não é ser politizado; é apenas ser um imbecil patenteado. Até um adolescente faria algo um pouco mais inteligível do que isso. A impressão que passa é que estes cidadãos não tem vida social, nem família, nem relacionamentos, enfim, pessoas disfuncionais que tentam descarregar na sociedade suas carências e necessidades de auto-afirmação.

  Além do erro primário que é confundir os partidos que estão se revesando no poder como de "esquerda".  Principalmente o PT, que é mais conservador que o DEM e fez alianças com a ala mais reacionária do establishment para chegar e se manter no poder, além de dar sequência a uma cartilha neoliberal e viciada que o país conhece bem desde 1994. Chamar um partido assim de esquerdista ou de comunista é passar atestado de cretinice crônica. E, acredite, nas redes sociais há inúmeros doadores de cérebro que cometem tal deslize, sem se importar em passar atestado de ignorante político em público. O que importa é xingar como uma criancinha revoltada. A lógica? Estas pessoas não sabem muito bem o que significa isso...






  Mas vamos supor, por um instante e só por um instante, que a massa de ignorantes alienados, essas mentes limitadas e infelizes que enaltecem o maldito regime e seu nojento golpe de estado, consigam seu intento e tragam de volta ao país as trevas daquele período. Supondo que se concretize esse devaneio delirante de pessoas com pobreza intelectual extrema. Bom, se isso acontecer, prepare-se para seguir algumas regras básicas para sobreviver no "Abominável Mundo Novo":

* Desligue seu computador - não será mais permitido internet livre.

* Não proteste nas ruas - você será levado para o porão dos quartéis e será brutalmente torturado.

* Votar? ACABOU!!

*  Lembra da Constituição e do Código Civil? ESQUEÇA!!

* Imprensa livre, redes sociais e acesso a informação plena? HAHAHAHAHAHAHAHA

* Direitos humanos/civis? NUNCA MAIS!!

* E quanto a verdade? Bom, aprenda que a verdade será o que "eles" te obrigarem a acreditar.

* E TRATE DE CALAR A BOCA!!!



                                      (vala clandestina é capítulo inacabado da ditadura militar)




Leia também :

O Satânico Dr. Fleury

Aos Ingênuos de Plantão

O Livro Secreto do Exército



2 comentários:

  1. Olá Marcelo, muito bom e texto, muito bem colocado, principalmente a parte que diz, sobre as pessoas que não tinham pegado em armas e mesmo assim foram torturadas porões, E foram a
    grande e maioria, Era só o cara ter um folheto suspeito e já era detido, ele e quem estivesse com ele...Conheço um amigo querido que foi torturado simplesmente porque era simpatizante do movimento, ficou quase aleijado, e morreu com 50 anos devido as sequelas. E as pessoas que defendem esses movimentos não sabem dialogar, só xingam, maltratam e chamam todos de comunistas. Claro, sem argumentos, não são favoráveis a um dialogo aberto.. ahahahah mas claro, quando na frente da tv, fingem que são humanistas..ahahah dá vontade de rir...
    abração!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sei bem o que é isso, meu amigo Marcos. Só por postar esse texto em algumas comunidades do Facebook fui taxado de comunista e até convidado a me retirar de uma. Mas como isso vem de fascistas, pra mim é um atestado de idoneidade. Defendo ideias de liberdade e democracia SEMPRE. E sei que alguns não. Fazer o quê? Um abraço e obrigado pela força.

      Excluir