Follow by Email

quinta-feira, 21 de março de 2013

E o Nazismo, Infelizmente, Não Morreu...







  A indigência humana parece não ter limites. Além das prisões arbitrárias e as condições subumanas nas prisões israelenses, os palestinos também vêem seus filhos e filhas serem presos, espancados e isolados de contato com familiares, sem o menor pudor. E qualquer tipo de defesa por parte dos pais destas crianças faz com que os soldados reajam com intensidade terminal. Truculência e brutalidade em níveis assombrosos.






   Não que a Gestapo de Israel ainda não tenha cometido atos dessa proporção. Muito pelo contrário. Atitudes desumanas são a marca registrada da administração israelense (seja ela quem for). Mas a situação recrudesceu nas últimas semanas. Além da crise humanitária recorrente ao povo palestino (sem moradias, já que as deles foram roubadas, sem água potável, sem acesso a medicamentos, já que a ajuda de outros países são barradas nas fronteiras), A Palestina tem inúmeras cavernas habitadas por famílias inteiras, depois dos assentamentos ilegais que lhes tomaram as propriedades, a dignidade humana e, em alguns casos, até a vida, quando houve resistência por parte dos donos de direito contra o exército.




  No vídeo abaixo a prova cabal de um país (se é que Israel é um país, de fato) que acha que tudo pode, que suas vontades prevalecem e, acima de tudo, que a extinção do povo palestino é questão de tempo, se a ONU e seu Secretário-Geral continuar se acovardando e se Barack Obama, o homem por trás de guerras e   "drones",  mantiver seu apoio financeiro a uma nação (!!) que vive e respire conflitos, sempre se escondendo atrás do papel de vítima.





 É chegada a hora de se coibir tamanha atrocidade.

* Onde um povo não se arvore no direito de dizer o que o outro pode ou deve fazer;

* Onde prisões injustas e truculentas sejam extirpadas;

* Onde um nação tenha o direito de existir, sem rumar a uma extinção iminente;

* Sem encarcerar homens, mulheres e crianças sem que haja um julgamento justo e nem isolá-los de suas famílias;





* Sem práticas de tortura ou qualquer outra ação indigna contra a vida humana;

* Sem execuções sumárias ou assassinatos em massa;

* Sem perseguições ou discriminações;

* Sem expropriar terras e sem roubar suas casas;





  Isso já era feito por Adolf Hitler. Não há necessidade de que seus séquitos deem continuidade aos seus monstruosos projetos de dominação global e erradicação de povos. Se os governantes de Israel simpatizam com o nazismo, isso é lá com eles; mas querer propagar as ações que levaram a humanidade às trevas, como aconteceu durante as décadas de 30 e 40, levando terror e destruição a outros povos já configura genocídio. E isso é passivo de condenação.

  Lembrando que comportamento imoral gera comportamento imoral. Tanto que é verdade, que Hitler conseguiu fiéis seguidores, em pleno século XXI:  os governantes de ISRAEL.






Leia também:

Davi e Golias : quem é a garota que desafiou a ocupação israelense?

Fósforo branco: crianças palestinas são queimadas vivas por Israel em Gaza

Pra Você Que Apoia o Nazismo...


2 comentários:

  1. Amigo, ainda bem que devido a globalização nenhum canto da terra fique esquecido, pois o que acontece em um lugar, tem consequências diretas em outro a milhares de quilômetros de distância.O fascismo e o nazismo ainda respiram sob o poder imperialista americano e religioso extremista, como sempre foi...E vai continuar respirando até que a sociedade acorde em vez de ficar perseguindo uma cenoura, vangloriando falsos líderes e seus argumentos ultrapassados, justificando a prosperidade, a ordem e o reconhecimento divino pelo ódio e violência.
    abração!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. concordo com vc meu amigo Marcos. E o bom da internet é que a blogosfera proliferou (estou falando dos blogueiros de verdade) e com os blogs a mil por hora, um novo flanco de informações apareceu, dando a outras pessoas, que tem apenas a chamada grande m´ídia como fonte de notícias, a chance de conhecer outros pontos de vista e outras notícias que não são divulgadas propositalmemente. um grande abraço

      Excluir