Follow by Email

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

DILMA FALA SOBRE DITADURA







Certos aspectos do que Dilma diz nesse video merecem considerações.

* Realmente comparar democracia com ditadura militar é chacota da pior qualidade.Muitas pessoas cometem esse erro crasso em dizer que era melhor naquela época.Isso é um acinte e denota total ignorância de um ser humano.PORÉM,houve tanta decepção com  a atual administração (e principalmente com a última)que muitos olharam pra trás e viram menos corrupção e menos desvio de dinheiro(o que também é um erro;só a Transamazônica custou uma fortuna e não saiu do papel,além dos escândalos de corrupção envolvendo ministros como Andeazza,Abi Ackel e Delfim).Os últimos presidentes eleitos fizeram de seu cargo,o que se faz na latrina.Isso arrasou as esperanças de muita gente.Enfim,a esperança foi derrotada pelo medo(ou pela falta de vergonha na cara).

 * Ao falar que foi torturada Dilma mostra o quanto esse prática nefasta foi usada pelos verde-oliva e seus asseclas da polícia(Fleury e cia),vulgo o esquadrão da morte,que assolavam os estados(cada UF tinha o seu).As táticas de tortura eram monstruosas e não poupavam nem as mulheres grávidas,e essa atitude cafajeste fez do regime obscuro no país,um período de sombras.PORÉM,do outro lado,também havia exageros.Não obstante os assaltos a bancos,os sequestros(que é crime hediondo),também houve assassinatos e torturas pelo lado dos guerrilheiros urbanos.Não havia mocinhos e bandidos nessa história,embora reconheça que quando um grupelho de safados e marginais,usando uniforme militar,cospe na Constituição ao destituir presidente,fechar Congresso,rasgar os direitos,eliminar democracia e eleições livres,e exterminado desafetos,faz com que gere contra-ataque.Afinal,comportamento imoral,gera comportamento imoral.Mas,de novo,sem heróis e vilões.Todos farinha do mesmo saco

* Ela também diz que só na democracia é que se diz a verdade. Num estado de direito,sim,os cidadãos são respeitados e não se obtém confissões através de métodos torpes,praticados por seres humanos desprezíveis que só conseguem as coisas à força(não só confissões; havia relatos de estupros nos porões da ditadura,também).Tudo isso nos faz celebrar viver em uma democracia e abominar regimes fascistas,como houve por aqui durante 21 anos. PORÉM, se numa democracia é que se diz a verdade,então seria de muito bom tom que os acusados do mensalão FALASSEM A VERDADE e parassem de se esconder atrás de ex ministros da justiça como advogados.Isso configura um mal uso da Constituição. Se antes não havia direitos, hoje há distorções nas concessões dos mesmos. O que presenciamos em momentos tristes de nossa história recente,como a administração corrupta de Collor,a compra de votos por parte dos tucanos e o escândalo das privatizações, o mensalão petista,o Cachoeiragate, é a deterioração dos valores éticos. E a consequente impunidade,nos deixa mais decepcionado com os rumos da nação.

*  E por fim,ela diz que "tem imenso orgulho em ter combatido a ditadura".Pior seria se tivesse compactuado com aquele regime absurdo,onde a vida era desprezada,onde os direitos não existiam e as coisas eram impostas "à pulso e a canelão". As pessoas de bem não poderiam apoiar aquela monstruosidade.PORÉM,tem que haver parcimônia em julgar os descalabros cometidos pelos militares,para não soar como revanchismo. Incomodar os moradores dos quartéis e tirá-los de suas tocas,com raiva,seria contraproducente,pra dizer o mínimo.O que deve haver,sim,é uma investigação das atrocidades cometidas de AMBOS OS LADOS.Sem aliviar para coleguinhas ou companheiros.Sem mostrar complacência com um,e rigor excessivo com outro. O que muitos não entenderam até hoje é que foram as Forças Armadas que decidiram quado sair,da forma e do jeito que queriam e nos termos por eles desejados (a chamada "abertura lenta,gradual e irrestrita). Eles fizeram as regras sujas e, até por não haver outra opção,foram aceitas.Portanto,mexer nesse assunto agora, seria imprudente se fosse da forma errada.Ao menos na Argentina isso foi feito com justiça, afinal os criminosos foram presos,inclusive generais (pena que as prisões foram revogadas por Ménem,o amiguinho do FHC, que preferiu dar-lhes liberdade quando chegou ao poder; triste).
 
      Que aquele momento deplorável de nossa história não seja esquecido; e muito menos,que passe a ser aceitável.Porque se houve o radicalismo em combater a ditadura,também houve os combatentes que não mataram ninguém.Como costuma dizer o escritor Ferreira Gullar,houve duas esquerdas: a que pegou em armas e a que optou por não fazer isso. Conheço pessoas assim, inclusive do meu convívio, e foi por exemplos iguais a estes que aprendi a amar a democracia e suas benesses;privilégios estes que não teríamos hoje ao usar as redes sociais com total liberdade de expressão ,se ainda vivêssemos sob a égide fascista dos militares.Talvez fôssemos uma China da vida,sem acesso total a internet e a suas maravilhas.Seria um pesadelo.Mas pra isso permanecer será necessário evitar as armadilhas do passado(inclusive com o apoio de parte da mídia perversa) e fiscalizar os  corruptos de agora. Que o mensalão(envolvendo a corja petista) e o escândalo do Cachoeiragate e suas eventuais punições sirvam de exemplo para fortalecer a democracia;que tem algo de bom: lhe dá a chance de,ao errar, começar de novo, revigorado, sem ser acossado por vilania de ditadores de plantão.



Nenhum comentário:

Postar um comentário