Follow by Email

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Hitler e a Religião









     (Hitler de saída da Igreja Sta. Marina, em Wilhelmshaven, em 1933.)



O ódio aos judeus era recorrente na sociedade da época e, em grande medida, foi patrocinado pelas principais religiões da Alemanha, o Catolicismo e o Luteranismo. A opinião de Martinho Lutero sobre os judeus, escrita no seu livro Sobre os Judeus e Suas Mentiras, de 1543, era constantemente evocada: ”Queime suas sinagogas. Negue a eles o que disse anteriormente. Force-os a trabalhar e trate-os com toda sorte de severidade ... são inúteis, devemos tratá-los como cachorros loucos, para não sermos parceiros em suas blasfêmias e vícios, e para que não recebamos a ira de Deus sobre nós. Eu estou fazendo a minha parte.”

O Nazismo soube muito bem usar esse ódio para legitimar sua ideologia. No seu livro “Mein Kampf”, Hilter afirmava: “Acredito hoje que minha conduta está de acordo com a vontade do Criador Todo-Poderoso.”. 

Fonte: O Livro Negro do Cristianismo: dois mil anos de crimes em nome de Deus.





Leia também:

O Revisionismo do Holocausto

A Segunda Guerra e suas Ramificações

Religiosos versus ateus




Nenhum comentário:

Postar um comentário