Follow by Email

segunda-feira, 27 de maio de 2013

AS LIGAÇÕES PERIGOSAS ENTRE A IGREJA CATÓLICA, OS NAZISTAS E OS DITADORES DO MUNDO





A Igreja Católica sempre esteve do lado errado da história. Apoiou regimes de exceção, ditaduras, repressões, torturas e até o nazismo e seu nefasto holocausto. Nunca se opôs aos monstros que impunham à força governos repletos de injustiça. E sempre lucrou por estar do lado errado dos conflitos.

Há os ingênuos que ainda defendem uma instituição decadente. É do jogo. O que essas pessoas alienadas não podem é deturpar a verdade. O Vaticano ama o poder e os privilégios que ele acarreta. E para se perpetuar no topo do mundo já se aliou aos maiores ditadores da história da humanidade.

A memória dos "fiéis" católicos pode, convenientemente, falhar. Mas a história não pode mudar.



A IGREJA E O NAZISMO -






















A IGREJA E O REGIME DITATORIAL DE VIDELA (ARGENTINA) -








A IGREJA E O REGIME DITATORIAL DE SALAZAR (PORTUGAL) -










A IGREJA E O REGIME DITATORIAL DE FRANCO (ESPANHA) -









Leia também:

Livro conta a vida sexual de papas: pedofilia, incesto e zoofilia

Ecos de uma Igreja Decadente




A IGREJA E O REGIME DITATORIAL DE MUSSOLINI -













A IGREJA E O REGIME DITATORIAL DE PINOCHET (CHILE) -








A IGREJA E O REGIME DITATORIAL DE PAVELIC (CROÁCIA) -











A IGREJA E O REGIME DITATORIAL DE TISO (ANTIGA TCHECOSLOVÁQUIA) -







Que sirva de lição ao mundo e, acima de tudo, à própria Igreja Católica. Ou, numa linguagem de fácil compreensão para os clérigos do mundo: "..A César o que é de César; a Deus o que é de Deus..."






4 comentários:

  1. E a Igreja Católica continua em busca de mais poder.
    Atualmente o Banco do Vaticano está sob investigação, por lavagem de dinheiro proveniente de tráfico e contrabando, onde um de seus melhores clientes é a Camorra da Itália.
    O BV recebe o dinheiro ilegal e o transforma em dinheiro legal, cobrando é claro uma taxa extra pelo serviço de beneficiamento.
    E eles acreditam que irão para o paraíso, mas deve ser o paraíso fiscal...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Gilberto. E com tanto dinheiro ( na maioria desonesto) eles ainda conseguem isenções fiscais mundo afora ( na Itália isso está acabando) e no Brasil a visita de sua "santidade" custará milhões aos cofres públicos. E há os ingênuos que defendam a instituição decadente com unhas e dentes. Fazer o que... Um abraço

      Excluir
  2. O que eu digo é que hoje em dia, o dinheiro comprou tudo, O que se esperava da igreja nada mais do que se opor ao regime nazista, e não usa-lo como justificativa pra eliminar o comunismo...Nada adianta se opor a uma ideia não teísta, quando na verdade está a favor do anti humanismo...Se um regime ditatorial e opressor se ergue, seria natural que uma instituição religiosa que prega a irmandade ( ou deveria ) e a fraternidade se erguesse contra esse regime, mas ao invés de apoiar os padres da teoria da libertação, que seguem verdadeiramente a doutrina cristã, os excomunga? E excomunga os padres que apoiam a igualdade? Tudo pra ficar do lado mais forte da corda, e aumentar seu poder? Poder sem espiritualismo é ser apenas uma forma de aumentar seus bens e suas posses materiais, sem sequer pensar nos mais desfavorecidos e nos próprios fiéis, que constituem massa de manobra. Sem admitir seu erro, não se espera uma mudança de postura, o que muitos acham viável, mas eu. sinceramente, preciso de algo mais que meras palavras...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois essa hipocrisia, meu caro Marcos. acaba custando caro a essa instituição perdida no tempo. Nunca o número de "fiéis" (para não chamá-los de outra coisa) foi tão diminuto. Vem perdendo espaço para outras doutrinas e até para as não-doutrinas. Deve-se, parcialmente, também à Igreja Católica, o número alto de ateus no mundo. Ela confunde, causa cisões e tenta impor à força suas ideias carcomidas pelo tempo. Triste retrato decadente de uma instituição que, outrora, dominou o mundo, e hoje sequer domina seus próprios muros...Um abraço, Marcão.

      Excluir