Follow by Email

domingo, 24 de fevereiro de 2013

O Zepelim de Chumbo





Jimmy Page se viciou em rock and roll ao ouvir o guitarrista de Elvis Presley, Scotty Moore mandar seus acordes nas canções do Rei. Cismou que queria fazer aquilo também. E convenhamos, Scotty era muito bom naquilo.

                                                                 (Scotty Moore  com Elvis Presley)

    Ainda adolescente começou a trabalhar em estúdios gravando singles para a gravadora EMI, enquanto conhecia pessoas como Eric Clapton, Jeff Beck (que viria a ser parceiro musical de Rod Stewart), John Mayall ( o cara que influenciou uma geração de roqueiros e blueseiros) e Nico (nome sempre associado ao Velvet Underground).
  Após algumas experiências menores foi tocar no Yardbirds, banda pela qual havia passado Eric Clapton; seu parceiro era Beck e formaram uma dobradinha fantástica no grupo que artisticamente era excelente,mas comercialmente, fraco. Soma-se a isso problemas interpessoais e o fim da banda era certo.
                                         (Yardbirds)
 Em 1968, era decretado oficialmente o término do grupo; mas havia um imbróglio nas mãos de Page: ainda havia shows e apresentações agendadas. Se não houvesse uma banda para isso os processos começariam a chover. Page então, se mexeu e criou o New Yardbirds, com Robert Plant e John Bonham (parceiros do conjunto Band of Joy) e John Paul Jones, que Page conheceu anos antes tocando em estúdio.
  Terminado o contrato, a banda tomou corpo e o grupo começou a voar sem a sombra do Yardbirds. O nome? Bom, o nome Led Zeppelin surgiu graças a uma ideia de Keith Moon, do The Who que achou que a banda tinha um som pesado e voava como um zepelim de chumbo. Melhor definição, impossível.
  O primeiro álbum era de um virtuosismo ímpar para a época. Músicas como Dazed and Confused, How Many More Times e Communications Breakdown mostravam que o grupo tinha vindo para ficar. Somado a isso uma boa dose de blues (todos os integrantes eram fãs do gênero; Plant tinha uma coleção imensa de discos de blues e soul music) e o resultado final foi de cair o queixo.

                                                             ( Led Zeppelin I)

  Considerado um dos melhores álbuns de estréia, a obra ganhou uma "continuação", ainda no mesmo ano, com mais sucesso ainda. Hits como Whole lotta love, Moby Dick (a música de Bonham) e Ramble on (claramente inspirada no livro "O Senhor dos Anéis") dava um novo rumo ao grupo que, com o disco original deu sinais do que viria a ser o hard rock da década vindoura; já neste o grupo mostrava que era uma banda de rock eclética, sem rótulos.

                                             (Led Zeppelin II)

 No disco seguinte, muito mais violão, banjo e mais cordas possíveis, numa clara homenagem ao The Incredible String Band, grupo inglês dos anos 60. Novamente o Led Zeppelin surpreendia o mundo com composições vigorosas como Immigrant Song e Gallows Pole.



  Mas foi um ano depois, a melhor parceria depois de Lennon e Mcartney, produziu aquele que viria a ser conhecido como 'o rock mais tocado de todos os tempos': STAIRWAY TO HEAVEN, no disco Led IV, um dos melhores da história do rock. Uma soberba obra que até hoje assombra por sua criatividade.

                                         (Led Zeppelin IV)

   A década de 70 era do grupo inglês. Com quatro discos o mundo parecia pequeno para os integrantes. Mas havia uma pequena nuvem no horizonte: o consumo excessivo de drogas.
  Houses of Holy tinha uma capa polêmica (crianças nuas subindo montanhas), belas composições (Rain Song) e as primeiras participações como autor do baterista John. Mas evidentemente não conseguiram superar o disco anterior. Ainda assim , um Zeppelin autêntico.

                                      (Houses of the Holy)

  Physical Graffiti, disco duplo e vigoroso mostrava que ser eclético era a essência da banda. O disco foi eleito um dos maiores discos da história do rock e mostrava um Jimmy Page ainda mais afinado; além de estrearem sua própria gravador, o que lhes dava ainda mais autonomia.  
                                         (Physical Graffiti)

 Entre muitas turnês, muito sexo (com muitas groupies), drogas (das mais pesadas) e rock and roll ( da melhor qualidade), a maravilhosa voz de Plant parecia dar os primeiro sinais de fraqueza, ainda que poucos notassem. E não era por falta de um empresário ativo. Peter Grant cuidava do grupo como quem cuidava de uma joia rara. Seguindo essa lógica, ele cancelou uma apresentação do grupo (no valor de um milhão, algo raro para a época), para preservar a voz do vocalista.
  'Presence' foi o começo da derrocada. Gravado praticamente por Page e Plant, que se recuperava de um acidente de carro, as vendagens decepcionaram e a crítica percebeu que havia uma estagnação na parte criativa do grupo. Sem hits, sem disco de platina. Mas vagamente um Zeppelin.

                                       (Presence)

  The Song Remains the Same, registro ao vivo de uma magistral apresentação no Madison Square Garden, em Nova York, em 1973, no auge do grupo, fez da banda uma campeã de vendagens e dava fôlego para reencontrar o caminho criativo.

                                       (The Song Remains the Same)

  'In Through the Out Door' foi o último disco do Led. Suas gravações começaram bem, mas com a morte do filho de Robert Plant, Karac, de apenas 6 anos, foi o início do fim. Boa parte do ano, o vocalista ficou reservado pelo ocorrido, Page se isolou para compor a trilha do sinistro "Lucifer Rising". Aos poucos foram voltando, mas havia um clima de despedida no ar. Gravaram o disco (melhor que o antecessor) e lançaram como música de trabalho "All my Love", composição de Plant, dedicada ao filho que morrera.

                                      (In Through the Out Door)

No festival de Knebworth (Verão de 79), o show foi como antigamente, menos pelos vocais, cada vez mais combalidos por uma mistura de drogas e álcool. 



Apesar do Punk, o grupo ainda tinha espaço. O projeto para o ano vindouro de 1980 era o continente americano, inclusive Argentina, Chile e Brasil. Mas em setembro do mesmo ano, John Bonham foi encontrado morto, asfixiado no seu próprio vômito depois de beber toneladas de Vodkas com Laranja. Não havia mais razão de ser para os integrantes da banda. Alguns meses depois, o fim oficial foi anunciado pelo empresário e pelos remanescentes do conjunto.
  Uma das maiores bandas de todos os tempos (senão a melhor) deu outros contornos ao rock. Copiados, homenageados e seguidos (sem sucesso, é claro) o Led Zeppelin é até hoje lembrado por ter mostrado que o rock era: antes deles e depois deles. Isso é o que define o Zepelim de Chumbo.

Leia também :



Nenhum comentário:

Postar um comentário