Follow by Email

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

O Grupo Terrorista Israelense




da página do Facebook - Somos Todos Palestinos



Analistas dizem que Tel Aviv utiliza o terrorismo de falsa bandeira para obrigar os governos estrangeiros a apoiar a política externa de Israel,
"É claro que o lema do Mossad é 'fazer a guerra por enganação', eles são os mestres mais importantes de ataques de falsa bandeira cometendo crimes, culpando os outros para ganhar vantagem política ", disse James H. Fetzer, um professor de filosofia, em entrevista à Press TV.

O ataque terrorista na Bulgária, em 2012, que matou sete pessoas, incluindo cinco turistas israelenses, tem todas as impressões digitais de um ataque de falsa bandeira ordenados por Tel Aviv, mais e mais especialistas estão apontando.
"Sim, eu acho que os israelenses estavam provavelmente punindo os europeus, bombardeando o ônibus na Bulgária, mas então, fazendo de tal maneira que eles pudessem culpar seu inimigo, o Hezbollah", disse Kevin Barrett, professor de Estudos Islâmicos e Oriente Médio.




Poucas horas depois do ataque terrorista, o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu culpou movimento de resistência do Líbano, o Hezbollah, apesar da falta de evidências confiáveis para apoiar a sua reivindicação.

Além disso, o ministro das Relações Exteriores da Bulgária indicou as evidências de envolvimento do Hezbollah nos ataques como apenas "circunstanciais".

"As próprias autoridades búlgaras têm mostrado hesitação para extrair conclusões contundentes como essas quando a prova é praticamente inexistente ou, eu diria, na verdade contra isso, dado o histórico de ataques de falsa bandeira perpetrados pelo próprio Israel", disse o professor Fetzer.

"É hora de saber quem ganhou com esse bombardeio, na Bulgária, e eu acho que a resposta para isso é bastante óbvia", postulou o professor Barrett, acrescentando: "O que é inexplicável é por quê os governos ocidentais que não têm absolutamente nada a ganhar por serem arrastados para guerras de Israel continuam a aceitar essas histórias ridículas de Israel de que os árabes e os muçulmanos estão supostamente saindo e realizando esses ataques que beneficiam ninguém, mas Israel? " 


Nota do blog:  Lembrando que o Mossad também está ligado diretamente aos atentados no World Trade Center, em 11 de setembro de 2001. Foram descobertas pessoas ligadas ao grupo terrorista, que tem chancela oficial de Israel, pouco tempo depois dos aviões "derrubarem" os edifícios, nas proximidades. Segundo o jornal The Washington Post, cerca de 60 israelenses suspeitos foram detidos pelo FBI. Estima-se que cerca de 200 foram investigados, em março de 2002, por suspeitas de espionagem e tentativas de acesso a prédios oficiais do governo.

A publicação do The Sunday Herald divulgou, em 2003, que cinco homens ligados a Tel-Aviv, estavam filmando o exato instante do impacto dos aviões.
O mesmo periódico alega que o Mossad vinha ajudando integrantes da al-Qaeda a se esgueirarem pela Europa, para chegarem aos EUA. Motivo? Unir aos americanos à seu próprio processo de vitimização e apoiarem ainda mais a causa dos sionistas.

O governo de Israel nunca se dispôs a falar sobre os incidentes envolvendo o 11 de setembro. Os Estados Unidos não pressionam e a mídia acabou se calando. Mas publicação original que denunciou isto (Jonas E. Alexis, The Zionist Regime and the Israeli-Run NSA Busted–Again!, Veterans Today, 7/16/13) é muito clara e detalhista. Com nomes, data e situações descritas de maneira vívida. 



9/11 and other lies



A conclusão é óbvia: o Mossad, assim como a CIA são as duas maiores agências de desestabilização no mundo moderno. Movidas por motivos torpes e indo na contramão dos Direitos Humanos e da Convenção de Genebra.

Mas enquanto a massa for manipulada pela mídia vendida ao sistema, com sua agenda própria, ficará difícil haver contestação ou, ao menos, uma percepção melhor da realidade nefasta que nos cercam.



Leia também:







Nenhum comentário:

Postar um comentário