Follow by Email

terça-feira, 4 de junho de 2013

Pobre Arnaldo Jabor...





O pseudo diretor de cinema Arnaldo Jabor, responsável por alguns dos filmes mais fracos do cinema brasileiro, mais uma vez usa de seu viés reacionário pra destilar ódio e ressentimentos contra aqueles que não se enquadram nos seus padrões. Os mesmos padrões da Veja, do Estadão, da Folha e da Globo; emissora responsável por tirá-lo do limbo, do lugar nenhum que ele ocupava na mídia nacional e dar-lhe voz.
Jabor comete os equívocos de sempre e usa da velha retórica para falar de seu tópico preferido: demonizar a esquerda na América Latina.




Nos últimos anos, as críticas foram de Rafael Correa à Lula, passando por Chávez, Fidel e Evo Morales. Mas o diretor de Toda Nudez será Castigada parecia poupar os maiores ditadores mundiais, como Bush, Tony Blair. Mesmo com a ascensão de Obama e o aumento considerável dos desmandos dos EUA, Arnaldo só tinha olhos para os maléficos “comunistas” latino-americanos. Aqui, somente erros e bagunça generalizada. Lá fora, exemplo a ser seguido. Típico pensamento de pessoas com a mente tacanha. A síndrome de vira-lata ganhava um defensor ferrenho. Nas raras vezes em que criticava o ex presidente americano durante a invasão ao Iraque, foi comedido, escolhendo bem as palavras para não desviar a atenção do público do mal maior: o avanço da esquerda na América do Sul. Ele mesmo, segundo as próprias palavras, um ex esquerdista (??), decepcionado com os rumos da sociedade contemporânea. Parece estranho que um filho de militar tenha sido genuinamente um militante de esquerda, mas talvez seja para se sentir menos distante da realidade. Ou necessidade extrema de autoafirmação.





Fato é que Jabor insiste em repetir suas falácias para propagar antipatias pessoais. Se ele desgosta de Lula e Dilma, é do jogo. Mas dizer que ambos são representantes da “esquerda”, apenas para desqualificá-los, erra a mão; da mesma forma quando errava ao dirigir suas bobagens delirantes no cinema tupiniquim. O ex presidente e sua sucessora NÃO SÃO DE ESQUERDA! Podem ter usado os dogmas socialistas para enganar a população e chegar ao poder, mas nunca colocaram em prática nada que lembre, remotamente, o socialismo. Arnaldo deveria saber, afinal ele se define como um ex militante. Tal qual Lênin e depois Stálin que, no melhor estilo “1984” e “A Revolução dos Bichos” usaram os argumentos marxistas e não puseram totalmente na prática. Mas a patuleia acreditou, e é isso que importa. Exatamente como no Brasil.



Leia também: 




 As pessoas precisavam acreditar que Luis Inácio era o candidato deles, que veio do povo e ainda não os havia esquecido. Mas esqueceu. Os ideais do passado ficaram nos palanques. Agora o que importava era cumprir as promessas que fizera aos banqueiros, empreiteiros e caciques e coronéis políticos, como Sarney, Collor, Calheiros e Maluf. Engolindo tudo o que havia dito sobre cada um deles. Se isso é um político de esquerda, deus nos livre de um reacionário que porventura tenha um vice-presidente que apoiou a ditadura militar. Epa! Peraí! Esse era o Marco Maciel, o vice do FHC.


O dublê de comentarista político Arnaldo Jabor deveria parar de satanizar desafetos; ao invés disso, poderia pedir ao governo um “Bolsa-Direção de Cinema”, para pessoas que precisem ser incluídas no mercado audiovisual. Ou usar o bom senso ao realizar seus comentários desprovidos de lógica.  Já que dificilmente ele poderia criticar a Suzana Villas Boas, esposa dele e assessora de José Serra. Pegaria mal tanto para ele quanto para os milhares de idiotas que o idolatram como a voz de protesto contra a “esquerda” brasileira. 

Jabor padece do mesmo mal que muitos Brasil afora: acha que PT e PSDB são partidos distintos, quando na verdade são dois lados de uma mesma moeda suja. Pra alguém tão politizado quanto ele, pensei que fosse fácil perceber o óbvio ululante.





4 comentários:

  1. Grande texto Marcelo! Parabéns! Gosto quando ele faz críticas ao governo, do que realmente é errado e que merece ser criticado, porém, como você mesmo disse, a esposa dele é assessora do Serra, e nunca o vemos criticar alguém do PSDB! Um jornalista sem imparcialidade é um boneco de ventriloquia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Big Roger. Concordo com vc; há momentos em que ele acerta na crítica, mas muitas vezes se torna repetitivo, afinal há outras lambanças no cenário político nacional, que ele convenientemente ignora. Acho que já passou da hora do Jabor ter identidade própria e criticar direita, esquerda, centro,enfim.. Aonde os erros estiverem. Valeu pela força, Rogério. Um abraço

      Excluir
  2. Gostaria aqui de manifestar minha indignação com o que chamamos de República Federativa do Brasil, ou popularmente governo federal, começamos pelas manifestações, sem dúvida temos que manifestar, mas tudo parece ainda pouco nas melhoras do país, é só começar um foco de greve ou paralisação, o governo quer seja federal, estadual ou municipal, acabam cedendo as migalhas de 4, 6, e 8% de aumento as classes trabalhadoras, dificilmente chegando aos dois dígitos de aumento, exceto para os Poderosos da República é claro, mas, acho que tudo é muito pouco, temos que partir para mais, o brasileiro deve mostrar que não se contenta mais com pouco e sim, mostrar o seu valor, isso deve acontecer pra ontem, não pra hoje, se tivermos que partir para uma guerra civil, por que nâo? dizem que se isso acontece só morrerá pobres, mas os pobres já estão mortos há muito tempo, sem hospitais, sem educação e muito menos sem segurança, então teríamos muito pouco a perder... Vamos mudar nem que seja pela dor já que a ditadura Petista insiste em colocar um Socialismo ultrapassado, sendo que para eles ah para eles da cúpula, deve imperar o Capitalismo. É isso aí, até quando viveremos de frirulas, futebol, samba súor e cerveja??? Muito pouco para o povo enquanto isso o paraíso fiscal petista está cada vez mais longe do povo e principalmente da tão acharcada classe média. É isso aí, Ó Pátria Amada idolatrada Salve Salve...

    ResponderExcluir
  3. Jabor, A política no Brasil, a qual deveria propor representantes éticos e morais ao nosso povo, deixaram de fazer isso, depois que, criaram as fraudulentas urnas eletrônicas!!! Portanto, o Congresso Nacional virou um balcão de negócios... E, essa a nossa triste realidade, de meros coadjuvantes brasileiros, na hora de votarmos!!! Ou podemos dizer na linguagem popular; "Viramos idiotas nas mãos desse negócio, chamado eleições". Parabéns, Jabor, pelos seus préstimos ao jornalismo brasileiro, verdadeiro e sem sensuras!!! movimentobrasil-mbbad.Blogspot.com.br.

    ResponderExcluir