Follow by Email

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Pra Que Diabos Serve um Jornalista?






No recente atentado em Boston, a imprensa americana (como sempre) cometeu seus equívocos (alguns propositais) para confundir o telespectador. Até aí, sem novidades.
O que intriga é a enorme “câmara de eco” em que se transformou a mídia brasileira, se limitando a repetir, palavra por palavra as “notícias” veiculadas nas emissoras dos EUA.




Sem contestações, sem informações novas. A expressão mais ouvida nos telejornais tupiniquins foi: “de acordo com a imprensa americana...”.

Difícil levar a sério uma emissora de TV, ou jornal ou até uma revista semanal, que se propõe apenas a servir de ‘papagaio de pirata’ para fatos dúbios que parecem seguir os mesmos erros ocorridos no pós 11 de setembro.

Boa parte dos veículos de imprensa brasileiros tem seus correspondentes internacionais, há alguns anos. Pergunto: o que faz um profissional importante como esse, que se limita apenas a repercutir a CNN, Fox News ou a CBS? É alguém que custa caro à empresa jornalística, cuja função é de atualizar os fatos e não aceitá-los sem maiores contestações.

Um profissional que prima pela excelência teria visto os furos na investigação do FBI, as manobras da mídia para legitimar as ações destrambelhadas e truculentas, ludibriando o americano médio (bom, isso não é tão complicado assim...) o convencendo de que tudo que o governo faz é sempre correto.  E a partir dessa constatação, faria uma reportagem corajosa e independente para trazer luz aos fatos.
Mas exigir que além de contestar a mídia estadunidense, seja independente, imparcial e crítico seria abusar da sorte.


                (imagens que mostram claramente uma interpretação, e não pessoas que                 foram atingidas por uma enorme explosão


Portanto, resta sempre a imprensa “outsider”, a blogosfera e aos sites de jornalismo que não pertençam ao sistema fazerem a reflexão correta sobre a tragédia em Boston que, pra variar um pouco, tem o dedo do governo americano no ato terrorista.

Graças a Odin, que temos uma internet que serve para combater o establishment.  Do contrário ainda dependeríamos única e exclusivamente das Globos da vida para sabermos das notícias. Ou para massificarem a nação. Às vezes, dá no mesmo.



Leia também: 






2 comentários:

  1. Fla Marcelo!
    O mundo que vivemos é uma grande mentira, quando é que as pessoas vão ter coragem de abrir seus olhos? Realmente os jornalistas estão mais preocupados no seus status social que em elaborar boas noticias..Quase todos os documentários são cópias dos do documentários americanos, eles não querem sujar as mãozinhas cuidadas da manicure com reportagens em terrenos hostis, tem medinho de sujar a roupinha, além de serem todos uns marias vai com as outras...Claro que preferem criar ícones em vez de destruí-los, isso faz parte do jogo do capitalismo, ainda bem que temos, ainda, a net pra poder conseguir fontes de informação mais confiáveis
    abraços

    ResponderExcluir
  2. E o pior, Marcos, é que o formato dos telejornais é igual e sem criatividade. Todos plagiando descaradamente os telejornais americanos. Ainda bem que existe a blogosfera. E viva os blogueiros!

    ResponderExcluir