Follow by Email

segunda-feira, 8 de abril de 2013

O PADRÃO GLOBAL DE ATROCIDADES





Aqui nesse blog, sempre que possível, evitei citar o nome de uma certa emissora de televisão, para não correr o risco de ser acusado de ter “a boca suja” por falar um palavrão desses em público.

Poucas vezes me atrevi a pronunciar (a não ser em casos desesperadores) o nome do grupelho que comanda a emissora e outros braços midiáticos para não atrair fluídos negativos.





Mas o ver a recente investida contra o jornalista Luis Carlos Azenha, da Record e do site VIOMUNDO, além de atacar outros jornalistas, não pude me conter. Tenho que confessar, do fundo do coração, que eu ODEIO A REDE GLOBO DE TELEVISÃO.

Leia mais detalhes da briga entre a emissora e o jornalista  AQUI.

Como não desprezar uma emissora forjada nos porões da ditadura militar? Que teve o aval dos cafajestes verde-oliva para tomar de assalto a nação? Que apoiou, incondicionalmente, a violação dos direitos humanos, direitos civis e da ruptura com a democracia? E tudo por PODER E DINHEIRO. A ganância de um homem pequeno (moralmente falando) que ambicionava dominar o Brasil, de maneira equivocada (e não são todas as maneiras assim?). Isso, em si, já é enojante.




Em quase cinco décadas pouco fez para ajudar o país a evoluir, a não ser em seus termos, e apenas quando lhe interessava.  Com muito mais denúncias e críticas do que elogios, sua vergonhosa trajetória só denota a sociedade arcaica que ousou representar, em um período turbulento.

Pouco afeita ao jogo democrático, sempre preferiu os subterfúgios, os conluios e as técnicas de intimidação quando seus interesses mesquinhos eram contrariados.





Isso pouco mudou até os dias atuais. E a tentativa de censurar a blogosfera é uma dessas artimanhas rasteiras, usuais a uma família acostumada a cobrar de governos militares retaliações contra desafetos e inimigos declarados. Que o diga Assis Chateaubriand, antigo dono da Tupi, que era o único obstáculo no caminho da dominação televisiva de nosso Cidadão Kane. Missão dada é missão cumprida e a trajetória foi atenuada por W.O., graças aos militares, amigos de todas as horas convenientes e inconvenientes.

A mais recente e feroz batalha contra opositores é sinal claro de desespero, cujo Ibope (instituto amigo de TODAS AS HORAS) começa a mostrar sinais de desgaste.




Hoje, os inimigos se multiplicam e em todos os setores. Da Rede Record, ao Facebook; da blogosfera, ao Google. E sempre que sai para confronto volta, parcialmente, vitoriosa. Ainda com o título de ‘maioral’, mas com sérios hematomas. Ao contrário de outrora, quando voltava das brigas, incólumes e com a pretensa superioridade incontestável.

Luis Carlos Azenha, Paulo Henrique Amorim, Luís Nassif, Rodrigo Viana e tantos outros que ousam confrontar um conglomerado que foi aparelhado pelas forças armadas na década de 60 para se tornar, oficialmente, a VOZ DO BRASIL, sabem do risco; mas sabem, também, que vale a pena lutar contra o errado, contra tudo que é arcaico, cheirando a mofo da ditadura; contra o establishment que rejeita mudanças; contra o acúmulo de escândalos e de atitudes antiéticas; contra a imoralidade da imprensa vendida ao sistema; enfim, contra tudo que representa a Rede Globo de Televisão. Os cidadãos de bem agradecem.





Leia também:









Nenhum comentário:

Postar um comentário