Follow by Email

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Política só é Coisa Séria pra Alguns





Sorocaba é uma cidade grande do interior paulista. Enfrenta graves problemas nas áreas de saúde, infraestrutura e transporte como tantas outras Brasil afora. E procura resolver seus imbróglios da maneira draconiana: se há um dedo com infecção, amputa-se o braço.

Essa foi a solução para a falta de médicos na rede municipal. Duas Unidades Básicas de Atendimento, carentes de profissionais e com sérias denúncias de médicos batendo o ponto sem trabalhar (gerando até uma CPI) tiveram suas rotinas alteradas. A da zona oeste atenderá apenas crianças; a da zona norte, adultos. Se um pai e seu filho passarem mal terão que seguir destinos diferentes, e cumprir um calvário para ser atendidos. O que o secretário de saúde fez (além de se mostrar o maior incompetente da gestão atual) foi desproteger duas regiões, ao invés de solucionar o dilema. Poderia ter realizado um concurso digno (não o refugo recente que mal chamou a atenção de profissionais da área) com remuneração decente e condições de trabalho idem. Preferiu seguir um caminho mais fácil (pra ele) e mais tortuoso para a população, que lhe paga o salário. Talvez se a mãe dele se tratasse na rede municipal, ele pensaria diferente.

Mas a estúpida decisão administrativa não foi suficiente para mobilizar os sorocabanos em um onda de protestos. Pena. Motivo real é o que não falta. Em Sorocaba, as manifestações do meio do ano foram tímidas, se comparadas com o restante do país.











"POLÍTICO É TUDO IGUAL"

Esse exemplo só denota o atraso político brasileiro, que nem as manifestações dos últimos meses conseguiram abalar. Seja em nível municipal, estadual ou federal.

Veja o caso de uma das piores figuras da "república", Renan Calheiros. Um legítimo coronel das Alagoas foi pego em flagrante tentando usar dinheiro público para encher a dispensa. No Uol: Depois de cancelar licitação de R$ 98 mil para abastecer a residência oficial do presidente do Senado com itens como 25 quilos de camarão vermelho grande, a Casa divulgou, nesta sexta-feira, novo edital, no valor de R$ 43 mil, para o fornecimento de alimentos, materiais de copa, cozinha, limpeza e higienização no prazo de seis meses. O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) chegou a ficar com problemas de abastecimento em sua casa com a suspensão da licitação.

Provavelmente acostumado a comer refeições bem mais modestas quando jovem, Renan abre mão de carne seca e vai direto ao filé mignon. Enquanto o contribuinte que o sustenta a peso de ouro, encara um simples arroz com ovo frito. Não deixa de ser gostoso, mas a questão é o disparate de alguém que é presidente do Congresso ser pego em escândalos sucessivos. Aliás, o mote de sua vida política.

A solução? Realizar outra licitação, mas com produtos similares. Diminuindo um pouco a fatura, ele espera ser menos percebido pela mídia. A intenção deu certo, já que os barões da imprensa tupiniquim estão de mãos atadas. Em Alagoas, a retransmissora do SBT é de propriedade da família Calheiros. Sem contar seus outros veículos de comunicação, como rádios e jornais, pelo estado afora, onde ele mesmo controla as notícias. Ele sabe que pode contar com a anuência dos pseudo jornalistas (nem todos); e isso o motiva a continuar com sua desfaçatez habitual.

Enquanto isso, a plebe continua levantando cedo todos os dias, bovinamente assinando embaixo dos desmandos dos mequetrefes de plantão, como se corroborasse com tudo o que acontece no país. E ainda tem gente que se poe a reclamar dos moleques do Black Blocs. Bom, ao menos alguém tem tentado fazer algo para mudar esse estado de coisas.

Parecem ser exemplos díspares (um, em uma cidade interiorana, e outro na capital federal), mas são similares. Mostra que a cidadania ( exercício dos direitos e deveres civis, políticos e sociais estabelecidos na constituição. Os direitos e deveres de um cidadão devem andar sempre juntos, uma vez que ao cumprirmos nossas obrigações permitimos que o outro exerça também seus direitos) não é exercida em sua plenitude. Que as pessoas deveriam mudar as ações. O brasileiro é passivo por natureza e se acomoda em frente a uma TV, esperando a solução aparecer do céu. Essa é a resposta dos maus políticos para suas ações. Sempre contando com a boa e velha conivência da nação. E aqueles que ousarem ter voz ativa serão satanizados em público, chamados de vândalos e marginais, numa tentativa pérfida de manipulação da opinião pública --com a parceria sempre vigilante da velha e carcomida imprensa com seus barões midiáticos, sempre prontos para lutar pela manutenção de interesses calhordas.

Por motivos menores, nações de pequena relevância geo-política conseguiram virar o jogo contra o establshment. Por que não aqui?


Leia também:

Supersalários Para os Políticos, Vida Subumana Para Nós.



Nenhum comentário:

Postar um comentário