Follow by Email

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

O QUINTAL PARTICULAR DA FAMÍLIA SARNEY





 “O MARANHÃO ESTÁ MAIS VIOLENTO, PORQUE ESTÁ MAIS RICO.” ROSEANA SARNEY


A frase fascista da herdeira da família Sarney, causa nojo. Talvez pelo tom de deboche...Afinal, o que mais sua família, ao longo dos anos, fez ao povo maranhense foi zombar de cada cidadão. E, ainda assim, eles mantiveram no poder um clã que só trouxe atraso e miséria ao estado.

Se houvesse um mínimo de franqueza em suas palavras, e sabemos que franqueza e honestidade são palavras que não constam no dicionário dos oligarcas maranhenses, a frase poderia ter sido pronunciada da seguinte forma: “o Maranhão está mais violento, mais miserável, mas a minha família está cada vez mais rica”.



Essa catarse viria em um momento crucial. Quando o Brasil inteiro descobriu, o que as pessoas racionais já sabiam há décadas: José Sarney e sua prole enriqueceram, na mesma proporção em que seu estado natal definhava. E o Maranhão definhou MUITO.

Após estabelecer um feudo particular, o ex presidente da república resolveu tentar a sorte em outras praças, e aportou no Amapá. Também conhecido por sua pobreza extrema. Coincidência ou não, os índices não melhoraram com sua eleição para o senado, pelo ex território.

Sarney esteve presente em todos os momentos da história política do país. Apoiou os militares, serviu como continuísmo, travestido de “Nova República” e permitiu a manutenção de interesses de coronéis, aliados de longa data, enquanto presidia a nação. Nunca se distribuiu tantas concessões de rádios e TVs para '‘senhores feudais, como durante sua gestão.

Hoje, a crise no sistema carcerário expõe o descaso com que sua família administra o estado. E o exemplo mais emblemático foi durante a repercussão nacional e até internacional das execuções dos presos, quando a “nobre” governadora fez a licitação às empresas que abasteceriam as geladeiras das residências oficiais do governo: o Palácio dos Leões e a casa de praia usada pela governadora, na Ponta do Farol. Os alimentos que constam na lista remetem a um cardápio de um restaurante cinco estrelas como lagosta, camarões dos mais variados tipos, bacalhau do Porto e patinha de caranguejo, entre outras delicatessen. Mais ainda: cinco toneladas de carne bovina e suína. 50 caixas de bombons e trinta pacotes de biscoitos champagne.

Parte da mídia falou das mortes dos presos, mais pela espetacularização (foram todos degolados) do que propriamente criticando a gestão de Roseana. Também causou embaraço ao governo federal, que tem no clã Sarney um apoio constante; assim como o silêncio conivente do ex presidente Lula sobre o assunto.







Conhecido por falar demais no '‘calor do momento’', já caiu em contradição várias vezes em sua vida política. Atacava duramente, o então presidente José Sarney, mas o adulava bastante quando era seu presidente do senado, enquanto ele era presidente do Brasil. Já levantou suspeitas sobre Roseana, a acusando de ter apoio da imprensa local para chegar aonde chegou, e já a defendeu em público. Esperar que um cidadão desses exponha o que realmente pensa sobre a questão, seria exigir demais de alguém costumeiramente mal assessorado.




O caso do Maranhão é gravíssimo, mas não é isolado. O sistema carcerário brasileiro é deprimente. Não recupera; apenas gradua os que lá entram com delitos menores, os transformando em profissionais do crime. Cabe ao Estado se impor como agente fiscalizador, num primeiro momento, e de recuperação. Mas para isso é necessário que o cidadão tenha consciência que seu voto é crucial. Alguém que vote para um integrante da família Sarney, claramente abdicou do direito de votar de maneira certa.


Leia também:





Nenhum comentário:

Postar um comentário