Follow by Email

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Aos Politicamente Corretos:




Não se pode dizer certas palavras ou expressões nos dias de hoje sem que os mais sensíveis se choquem e comecem a criar balbúrdia. Assim como não se pode acompanhar em uma telenovela que um vilão seja de determinada profissão para que as pessoas, teoricamente atingidas, reajam de maneira ruidosa.




São os “Politicamente Corretos” que, com suas mentes tacanhas, atrofiadas por anos de pouco uso, acabam criando polêmicas e causando mal estar, muitas vezes cerceando a liberdade de expressão alheia.

Nos dias atuais não se pode mais dizer deficientes físicos, apenas ‘portadores de necessidades especiais’; o catador de papelão virou ‘coletor de material reciclável’; se antes havia as denominações “brancos e pretos”, agora apenas brancos e ‘afrodescendentes’.

A questão é: MUDA ALGO?



Leia também:






Os Politicamente Corretos (PCs) diriam que são formas mais dignas de tratar estas pessoas. Seria isso ou apenas um jeito de atenuar uma realidade que os incomoda?
É sabido que os PCs são conservadores, elitistas muitas vezes, principalmente quando os convém. Talvez chamar uma pessoa de “coletor de material reciclável” torne a realidade (apenas para ele) menos chocante. Afinal o Politicamente Correto dificilmente se importa se há alguém em situação periclitante. Na sua cabeça limitada, é a forma que encontrou de “ajudar a resolver o problema”. Como se tudo se resumisse a uma mera nomenclatura...

Ao usar a palavra “afrodescendente”, o racismo está intrínseco, proveniente de atavismo milenar, mascarado pela atitude contemporizadora. Assim como citar o “portador de necessidades especiais” é meramente para entrar no jogo da sociedade. Uma escamoteação por não incluí-lo na sua empresa, via lei de cotas. Ou para ignorar a vaga em estacionamento, reservada aos deficientes, que o PC insiste em usar. 

Talvez o que deva mudar não são as expressões para se referir a alguém; e sim a ATITUDE.




Nenhum comentário:

Postar um comentário