Follow by Email

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

PAGOS PELOS OPRESSORES; DESPREZADOS PELOS MESMOS



Em mais uma demonstração de despreparo da PM (seja ela fluminense, paulista, baiana ou gaúcha) jovens foram presos durante uma manifestação, apenas por contestarem as prisões arbitrárias. Mulheres também tem sido alvo de operações truculentas, nas últimas semanas.

Desde o aumento dos protestos em maio deste ano, a Polícia Militar sempre se mostrou arbitrária. Ninguém espera que os PMs acompanhem tudo de braços cruzados; afinal, eles estão lá para manter a ordem e evitar dano ao patrimônio. Mas ainda assim os policiais sempre defenderam os direitos dos que os pagam, sem titubear. Agem sob o comando do batalhão, que recebe ordens do Coronel, que acata o que vem do secretário de segurança, que é um mero aspone do governador. Sabem aqule cara que não quer mudanças em hipótese alguma? Esse é o tal 'governador'.



Seria de bom tom que os “nobres” funcionários públicos se lembrassem que, apesar de receberem do governo estadual, eles estão lá para proteger a sociedade civil; e não para marginalizá-la. Quando, claramente, se opta por proteger os opressores, ao invés dos oprimidos, evidente que há um erro nesse processo. Um erro de avaliação. Uma coisa é evitar que uma banca de jornal, um museu ou um telefone público sejam depredados; quem faz esse tipo de vandalismo deve responder judicialmente por tamanha insensatez. Mas coibir protestos em frente a residência oficial do governador ou secretário com gás lacrimogênio, balas de borracha, detenções ilegais e com ações típicas de hordas fascistas é o cúmulo da idiotice.

No vídeo abaixo um exemplo de que as coisas são bem piores do que se pensa.






Há vários meses em que o enfrentamento entre PM e manifestantes vem se acirrando. No começo, os policiais até evitavam que fossem filmados por pessoas ligadas aos movimentos. Hoje, tamanha é a sensação de imunidade, que sequer se preocupam com a presença ostensiva de advogados tentando proteger os direitos civis dos presos nas manifestações.

Gostaria de ver as reações dos mesmos policias militares, quando o governador anunciar o próximo aumento de salários da categoria. Será interessante saber se eles reagirão à tamanha injustiça. Sim, porque é de conhecimento público que os PMs ganham mal. Acatarão o reajuste sem reclamar nos quartéis? Aceitarão a miséria imposta por governantes inescrupulosos que preferem sucatear a educação e a a segurança, apenas para manter o estado de coisas, o establishment?



Quando as '‘tropas de choque’' da vida perceberão que estão do lado errado da equação? Que proteger interesses não é “servir e proteger”? Que para os governates , eles são apenas e tão somente capachos, que podem ser descartados facilmente, no primeiro sinal de comprometimento da "missão"?

Os mesmos PMs que são sonoramente abandonados pelo Estado quando sofrem acidentes de trabalho, quando são atingidos por marginais e ficam a mercê de uma administração inepta, que não se importa com a condição do policial ou sua família.



Leia também:  Jovens são humilhados e agredidos por policiais no Ceará



Os policiais são buchas de canhão que os poderosos atiram ao sistema, antes de sacrifiar seus mandatos; tudo em nome da "governabilidade". E por esse tipo de gente que a população tem sido agrdida, humilhada e tratada como gado. Aposto que estes "exemplares" funcionários públicos devem estar orgulhosos deles mesmos. Os poderosos, ao menos, estão. Com certeza.



Leia também:







Um comentário:

  1. Eu entendo o que muitos dizem quando falam,que policiais são mal pagos,e que não deveriam ser o alvo das críticas,já que são trabalhadores com péssimos salários. Entretanto não tem como evitar a antipatia por essa categoria,cujo corporativismo impedem-lhes de perceber a situação estratégica de repressão e de sustentação de realidades de desigualdade. Os policiais são elementos de repressão,e devem ser tratados como tais por qualquer grupo de manifestantes,não é uma questão de devolver a violência,mas de criar táticas de colocar esses agentes da violência com as cuecas nas mãos, trata-se de tirar a relevância dos mesmos,de os ridicularizar como que em uma bomba semiótica,mostrando toda a sua sordidez e abuso em relação aqueles que supostamente deveriam proteger.

    ResponderExcluir